InícioCidadeCom aumento de demissões, saldo de emprego entra no negativo em João...

Com aumento de demissões, saldo de emprego entra no negativo em João Pinheiro, aponta CAGED

Dados foram divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Publicado em

A cidade de João Pinheiro fechou julho com saldo negativo de empregos, segundo aponta o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED. Subtraindo admissões e demissões, o município fechou o período com saldo de -117 empregos formais, meses depois de permanecer no azul. Confira detalhes a seguir.

Em dados gerais, João Pinheiro passou por uma grande fase de saldo positivo, registrada de abril a setembro de 2022. A partir de outubro, o saldo ficou negativo e, em janeiro, o maior município mineiro em extensão territorial voltou para o saldo positivo, mas de forma tímida, permanecendo no azul até junho de 2023.

No primeiro mês de 2023, foram 68 empregos formais de saldo. Em fevereiro, o saldo se manteve positivo, sendo 24 empregos formais. Seguindo a tendência de fevereiro, em março, o setor agropecuário seguiu liderando os índices de admissões e demissões, com 396 e 378, respectivamente. Abril foi fechado com saldo positivo de 178 empregos formais. Em maio, o saldo foi de 311. Junho também registrou saldo positivo, de 79 empregos formais.

Em julho, o agronegócio admitiu 264 e desligou 316 trabalhadores formais. O setor de serviços, por sua vez, foi responsável por 163 admissões e 203 desligamentos, seguida da indústria, com 108 admitidos e 102 desligados. Depois, vem o comércio com 106 e 131, e construção com 27 e 33, respectivamente.

Assim, o total de admissões em julho foi de 668 e de desligamentos 785, resultando em saldo negativo de -117 empregos formais. A faixa etária que predomina no mercado de trabalho pinheirense é a de 18 a 24 anos, seguida da faixa dos trabalhadores de 30 a 39 anos. A maioria dos postos de trabalho são ocupados por trabalhadores com ensino médio completo. Confira as tabelas a seguir.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


7 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
GALO DOIDO
8 meses atrás

Faz L vai da certo,,,,,, o amor venceu,,,,,

Fulano
8 meses atrás
Resposta para  GALO DOIDO

Tava muito pior antes com o Bozo

Bruna
8 meses atrás
Resposta para  Fulano

Bem capaz mesmo ! O pai dos pobres criou 14 ministério a mais , e quem paga o salário desses ladrões somos nós .
E só para lembra o imposto sindical já tá prontinho, e um discaso com o trabalhador .
Tem que discontar imposto sindical do salario dos petista.

Galo
8 meses atrás
Resposta para  Bruna

Obrigado pela resposta. Mas eles não entendem

Adolfo Maia das Flores
8 meses atrás
Resposta para  Fulano

Calma que vai melhorar. O grosso só tá iniciando. ; – )

joao
8 meses atrás

a conta esta chegando vamos torcer mas estou desanimado estso lascando com produtor rural sem comida ninguem vive

Fulano
8 meses atrás
Resposta para  joao

Tava muito pior antes com o Bozo