InícioCidadeJoão Pinheiro tem dois óbitos em investigação e 539 casos confirmados de...

João Pinheiro tem dois óbitos em investigação e 539 casos confirmados de Dengue

Óbitos em investigação ocorreram nos dias 14 e 15 deste mês

Publicado em

A cidade de João Pinheiro chegou à triste marca de 2 óbitos em investigação supostamente ocasionados por Dengue. O número de casos confirmados continua crescendo, assim como os casos de Chikungunya. Confira a seguir.

Os óbitos que foram postos em investigação pela Secretaria de Estado de Saúde ocorreram em João Pinheiro na semana 14 e 15 de 2024, ou seja entre os dias 01 a 14 de abril. Trata-se de pacientes que apresentavam sintomas da Dengue e a causa da morte definitiva deverá ser divulgada em breve.

O número de casos confirmados chegou a 539. Já a febre Chikungunya foi confirmada em 9 pacientes. Em João Pinheiro, o Laboratório Medlab oferece ambas as opções de teste que oferecem alta sensibilidade na detecção da doença, promovendo um diagnóstico preciso que é fundamental para o tratamento adequado e a rápida recuperação.

Tanto a Dengue como a Chikungunya são transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti e combatê-lo é um dever de toda a sociedade. Faça a sua parte e ajude a conscientizar a população.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


2 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Sílvio Mecânico
17 dias atrás

Cordenador da Sucam só quer saber d ir p Patos com as princesas e receber diária da prefeitura.
Ta nem aí pra dengue

Trabalhador
18 dias atrás

O presidengue vai matar todo mundo de dengue! cade as vacinas?