InícioCidadeJustiça absolve Osmar Xavier de assédio sexual, condena por lesão corporal e...

Justiça absolve Osmar Xavier de assédio sexual, condena por lesão corporal e mantém afastamento do cargo público

Osmar Xavier foi absolvido da acusação de assédio sexual porque o Juiz de Direito entendeu que ele não utilizou do cargo para praticar os constrangimentos sexuais contra sua subordinada

Publicado em

O ex-diretor do Hospital Municipal de João Pinheiro foi absolvido pela justiça local das acusações de assédio sexual cometidas contra uma subordinada. Apesar da absolvição, diante dos constrangimentos cometidos contra a mulher, Osmar Xavier foi condenado por lesão corporal e segue impedido de ocupar o cargo público. Ele ainda foi condenado a pagar uma indenização à vítima. Entenda.

A reportagem do JP Agora cobriu o caso desde o início depois que conseguiu informações exclusivas sobre o suposto assédio sexual cometido por Osmar Xavier contra uma funcionária, que seria sua subordinada. O site chegou a ser censurado para não falar sobre o assunto, mas o STF garantiu o direito de liberdade de imprensa ao portal de notícias pinheirense.

Nesta semana, nossa reportagem obteve a informação de que o processo judicial que apurava o suposto assédio sexual foi sentenciado e Osmar Xavier foi absolvido da principal acusação. É que, apesar de constatar a ocorrência dos constrangimentos cometidos pelo ex-diretor do Hospital Municipal contra a mulher, como comentários e insinuações de cunho sexuais, o Juiz de Direito que julgou o caso entendeu que ele não utilizou do cargo para fazê-los, o que impede a caracterização do assédio sexual.

Osmar Xavier, então, foi absolvido da acusação de assédio sexual. No entanto, em razão dos danos causados para a vítima, o ex-diretor do Hospital Municipal foi condenado por lesão corporal, o que motivou a manutenção do seu afastamento do cargo e ainda acarretou a condenação ao pagamento de indenização à vítima.

O JP Agora apurou, por fim, que tanto o Ministério Público quanto a defesa de Osmar poderão recorrer da sentença, que ainda não é definitiva. Seguiremos acompanhando o caso dentro do possível, já que o processo segue tramitando em segredo de justiça.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


3 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
GALO DOIDO
3 meses atrás

NUNCA DA NADA SO DA PROS P.P.P.

GALO DOIDO
3 meses atrás

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Pinheirense
3 meses atrás

Reportagem está vaga demais. Tem muita implicância nesse meio aí. Toda vez que fala desse assunto mostra o nome e foto dele. Onde está pelo menos o nome da suposta vitima? Quem é injustiçada quer justiça e não tem receio, vergonha ou medo de se identificar.