InícioDestaqueJustiça mineira mantém condenação de mulher que exerceu psicologia com documentação falsa...

Justiça mineira mantém condenação de mulher que exerceu psicologia com documentação falsa em Paracatu

Mulher que atuou fraudulentamente como psicóloga na Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Ação Social de Paracatu deve devolver salários e terá seus direitos políticos suspensos por cinco anos, decide Justiça

Publicado em

A 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) manteve a condenação de uma mulher contratada para atuar como psicóloga na Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Ação Social de Paracatu. Segundo a decisão, ela apresentou documentação falsa para obter o cargo e realizou atendimentos clínicos, inclusive com crianças e adolescentes, sem a devida qualificação.

A mulher, cuja identidade não foi divulgada, trabalhou nos anos de 2016 e 2017, ainda como estudante de Psicologia, sem cumprir os requisitos necessários para o exercício da profissão. A situação foi revelada em uma Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que acusou a ré de improbidade administrativa.

Ela só conseguiu se registrar no Conselho Regional de Psicologia em março de 2018, após a conclusão de sua formação acadêmica. Portanto, no período em que atuou em Paracatu, utilizou meios fraudulentos para assegurar o posto, o que resultou em sua condenação em primeira instância. Recorreu da decisão, mas o TJMG negou provimento aos recursos.

Além de ser obrigada a devolver integralmente os vencimentos recebidos por meio de contratos ilícitos com o município, a mulher foi condenada ao pagamento de uma multa civil equivalente ao dano causado, em valores atualizados. Foi imposta ainda a proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos e a suspensão dos seus direitos políticos por igual período.

O procedimento investigativo apontou ainda a prática de crimes de estelionato, falsificação de documento público, falsidade ideológica, e a contravenção penal de exercício irregular da profissão. A ré agora enfrenta as consequências jurídicas de suas ações, em um caso que traz luz à importância de mecanismos rigorosos de verificação de credenciais na contratação de profissionais da área de saúde.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


1 Comentário
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Dalva
11 meses atrás

Tem um falso cardiologista aqui em paracatu ele e clínico geral e atua como cardiologista tem clínica muito grande aberta nessa cidade de paracatu mg e a justiça não enxerga um absurdo desse quantas vidas corre risco nas mãos deles irresponsável q pensa só em dinheiro em se da bem e não tem respeito com as pessoas que precisam de profissionais infelizmente e assustador