Professores e servidores cedem e Câmara Municipal aprova reajustes em João Pinheiro

Servidores ficaram na bronca, mas cederam para não adiarem ainda mais os reajustes

Os vereadores de João Pinheiro aprovaram, nesta segunda-feira (14), todos os projetos de lei que tratam dos reajustes dos servidores, professores e classe política pinheirense. A reunião foi marcada por debates e tanto os servidores quanto os professores resolveram ceder ao reajuste proposto para não ficarem ainda mais prejudicados.

O JP Agora esteve presente e, mais uma vez, realizou a cobertura da reunião ordinária da Casa Legislativa pinheirense. Depois de toda a repercussão alcançada na sessão da última segunda-feira (07), servidores, professores e vereadores cogitaram, inicialmente, retirar os projetos de pauta para ver se conseguiam melhoras nos termos junto ao executivo.

Contudo, a sugestão foi deixada de lado porque, caso tivessem tomado esta decisão, os trâmites legais jogariam os reajustes para, no mínimo, o mês de abril. Então, as classes resolveram aceitar os termos do projeto, que traz os reajustes iniciais já para o mês de março. O projeto da classe política também foi aprovado.

O JP Agora ouviu a professora Érica Antunes, que contou sobre o sentimento de frustração sentido pela classe. “Vou embora contrariada. Concordo com os 17% para ele pagar agora porque, pelo menos, não vamos ficar sem nenhum reajuste. Vou contrariada porque o prefeito não nos deu um parecer de 2021, mas não vamos parar nossa luta” disse a professora.

O vereador Mário Luiz se solidarizou com os professores e servidores que acabaram não conseguindo o reajuste como pretendiam. “Ficou a revolta dos professores, saíram todos daqui revoltados, chateados e eu não tiro o direito deles. O professor tem que ser valorizado, não existe nenhuma profissão que não passa primeiro pelo professor. Fica a indignação. Ficaram com medo dos 17% ou nada e optaram pelos 17, o que não significa que aceitaram. Foram embora chateados” ressaltou Mário Luiz.

Assim, ficou definido que os reajustes para prefeito, vice, secretarias e vereadores vão retroagir a janeiro. Os servidores públicos em geral terão reajuste parcelado, 11% em março e 9,09% em novembro e os professores receberão 17% de reajuste referentes aos anos de 2019 e 2020, excluindo, desta forma, o reajuste de 33% já deferido pelo Governo Federal.

5 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


5 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Realidade
3 meses atrás

Se roubasse menos , dava p pagar o q é de direito dos servidores

Credo.
3 meses atrás

E pra cargos comissionados e apadrinhamentos políticos altos salários… Edinho é um ótimo prefeito, mas tá cheio de gente sem capacidade nenhuma entre os funcionários. Tomar cuidado pra não transformar esse segundo mandato as porcarias que foram mandatos de Sérgio Vaz que teve um monte de coisa erradas por outrem, ou Carlos que diga de passagem foi o pior prefeito da João Pinheiro.

CB
3 meses atrás

E mais uma vez esse conluio entre prefeito e vereadores e sindicato deu certo. Se não for por meio de ação proposta por cada servidor, nunca verá o aumento real, smp ficará essas sobras e isso vira uma imensa bola de neve. O que me indigna mais ainda é que em 2016 foi aprovado um acordo (que se tratando de funcionalismo público o correto é assembleia), da mesma forma. Relativo a revisão dada pelo ex prefeito Carlos Eduardo e posteriormente teve cessado, sem nenhuma justificativa prévia, os pagamentos logo após a posse de Edinho. E MP diante da tamanha inconstitucionalidade… Leia mais »

EDUCADORA
3 meses atrás

Mais um político que não apoia a educação. O prefeito de João Pinheiro é um covarde. Não faz jus ao cargo que ocupa. Devemos conscientizar a população para que políticos assim não voltem ao poder.

Eu
3 meses atrás

No final da matéria dá a entender que o reajuste dos professores, é retroativo a 2019 e 2020, ou seja 17% em 2019 e 2020

Artigos relacionados

Últimas Notícias