InícioCidadeProjeto de reajuste salarial para prefeito, vice e secretários é retirado de...

Projeto de reajuste salarial para prefeito, vice e secretários é retirado de pauta novamente em João Pinheiro

Mesa Diretora retirou o projeto de pauta novamente porque o prefeito não encaminhou o projeto de revisão dos demais servidores

Publicado em

O projeto de lei que visa revisar os salários do prefeito, vice e secretários de João Pinheiro foi retirado de pauta novamente pela mesa diretora da Câmara Municipal na reunião desta última segunda-feira, 07 de agosto. Mais uma vez, o plenário foi tomado por servidores, que pedem que o projeto em questão não seja aprovado até que o prefeito encaminhe à Câmara a revisão dos demais funcionários públicos.

A discussão acerca da revisão salarial do executivo pinheirense vem ganhando grandes proporções. É que, enquanto o projeto de reajuste para o prefeito, vice e secretários já foi apresentado para votação várias vezes, o prefeito Edmar Xavier (PDT) ainda não encaminhou à Câmara o projeto de revisão salarial dos demais funcionários públicos. Além disso, o chefe do executivo vem se negando a falar com o sindicato.

Nesta segunda-feira (07), o projeto em questão foi retirado de pauta mais uma vez, o que foi motivo de celebração dos servidores que participaram da reunião ordinária. No entanto, o anseio principal dos funcionários públicos não é pelo adiamento eterno do projeto, mas sim que o prefeito Edinho encaminhe a revisão dos salários de todos para votação. Neste sentido, o vereador Cabo Vieira (PP) destacou que uma hora ou outra a Câmara terá que votar a revisão do executivo.

“Uma hora ou outra vai ter que ser votado, de uma forma ou de outra. Isso é uma responsabilidade legal da Câmara, mais cedo ou mais tarde tem que ser resolvido”, ressaltou o edil Cabo Vieira.

Na sequência, o Presidente da Câmara Alexandre da Farmácia (SOLIDARIEDADE) destacou que a mesa diretora tentou reunir com o prefeito Edmar Xavier (PDT), o que não aconteceu. Ele se dirigiu aos presentes para garantir que a Câmara seguirá jogando limpo e se comprometeu a colocar em pauta o projeto de revisão salarial de todos assim que o projeto for apresentado pelo prefeito.

“Não vai ter nenhuma reunião extrapauta para votar isso ou aquilo, somos bem transparente. Como é obrigação da mesa diretora fazer essa revisão, a nossa parte a gente faz, agora dos funcionários é parte do prefeito, se fosse nós já teríamos colocado para votar. Do prefeito e dos secretários é dos vereadores, do restante dos funcionários vem do prefeito. Isso não é só em João Pinheiro, o que a gente pode fazer para vocês é votar, se ele mandar hoje, a gente vota hoje. Infelizmente, a gente não vai colocar uma arma na cabeça do prefeito e mandar ele fazer”, disse Alexandre da Farmácia (SOLIDARIEDADE).

Câmara de “mãos atadas” revoltou funcionários

Ao ouvirem o Presidente Alexandre da Farmácia (SOLIDARIEDADE) dizer que a Câmara não pode obrigar o prefeito Edinho a enviar o projeto, os funcionários presentes na reunião ficaram exaltados e começaram a questionar o trabalho dos vereadores. Os ânimos ficaram acalorados e a mesa diretora voltou a afirmar que não poderia fazer nada além daquilo que já vinham fazendo, que seria cobrar a ação do executivo.

O vereador Mário Luiz (PSD), então, sugeriu que a Mesa Diretora pare de apresentar o projeto de revisão do salário do prefeito, vice e secretário e só volte a apresentá-lo à votação quando Edinho (PDT) apresentar o projeto de revisão geral.

“Peço que essa matéria só volte aqui quando o prefeito mandar dos funcionários. A gente vai aprovar com o maior prazer sabendo que o funcionário está sendo beneficiado. É uma sugestão para que o senhor segure isso, que não volte. Tem coisa que temos que esclarecer, tentamos com o prefeito que ele atenda, ele não quis atender o pessoal. Essa é a forma que o vereador tenta”, disse Mário Luiz (PSD).

O projeto de lei 171/2023 foi retirado de pauta e não tem previsão de ser apresentado novamente à votação.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


1 Comentário
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Irônico
11 meses atrás

Esse Edinho é MT esperto, valorizar os servidores ele não quer e como já está na reeleição nem se importa com a opinião dos servidores. Vamos ver se os eleitores lembram disso na eleição de (2024) -candidato apoiado pelo Edinho- e nas futuras candidaturas de Edinho.