InícioCidadeQuase meio milhão de motoristas profissionais de Minas Gerais em risco de...

Quase meio milhão de motoristas profissionais de Minas Gerais em risco de multa por atraso no exame toxicológico

Minas Gerais registra alto número de condutores com exames pendentes; prazo se encerra em dezembro

Publicado em

Minas Gerais está enfrentando um desafio significativo no que se refere à regularização do exame toxicológico obrigatório para motoristas profissionais. O estado é o segundo no Brasil com o maior número de condutores das categorias C, D e E que ainda não realizaram o exame necessário. Com o prazo final se aproximando em dezembro, a situação torna-se cada vez mais preocupante.

De acordo com dados recentes, apenas 15% dos 4,5 milhões de motoristas brasileiros que devem realizar o exame até o fim do ano já cumpriram essa obrigação. Aqueles que não regularizarem a situação estão sujeitos a severas penalidades, incluindo multas e a possibilidade de suspensão do direito de dirigir por até três meses.

Camille Lages, Diretora de Comunicação da Associação Brasileira de Toxicologia, alerta para a gravidade da situação. Ela destaca que a obrigatoriedade do exame nunca foi suspensa, mas a pandemia e os sucessivos adiamentos geraram desinformação significativa entre os motoristas. Em outubro deste ano, a aplicação automática de multas foi retomada, e o governo estendeu o prazo para regularização até 28 de dezembro.

O exame toxicológico, que deve ser atualizado a cada dois anos e meio, é crucial para a segurança no trânsito, especialmente para condutores de veículos de grande porte, como caminhões, carretas e ônibus. Alisson Coimbra, Médico e Diretor da Associação Mineira de Medicina do Tráfego, enfatiza a importância do exame como uma ferramenta para prevenir acidentes causados pelo uso de substâncias ilícitas por motoristas que enfrentam longas jornadas.

Os motoristas que falharem em atualizar o exame toxicológico enfrentam penalidades severas. Além da multa de R$ 1.467,35 e sete pontos na carteira, em caso de reincidência dentro de 12 meses, a multa dobra para R$ 2.934,70, e o direito de dirigir é suspenso.

Diante do prazo apertado e da aproximação das festas de final de ano, que aumentam a demanda por transporte e entregas, a preocupação é que muitos motoristas possam acabar penalizados. A recomendação é que os condutores busquem a regularização o quanto antes para evitar congestionamentos nos serviços e as penalidades previstas.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


1 Comentário
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Santa Cruz e o que liga
8 meses atrás

O que vai ter de motora prezo e brincadeira ,só os cheradao agora fico feio pra o transporte brasileiro