Borrachinha encara Marvin Vettori para tentar colocar Brasil como protagonista novamente

No dia 23 de outubro o brasileiro Paulo Costa, conhecido como Borrachinha, irá encarar o italiano Marvin Vettori na categoria dos médios (até 83,9kg) e além da pressão para poder ter o direito de encarar o campeão Israel Adesanya, há ainda outro objetivo por lutar.

O Brasil foi protagonista do UFC desde seu princípio, com Royce Gracie dominando os primeiros torneios e vários campeões ao longo das quase três décadas da organização. No masculino chegamos a ter três donos de cinturão ao mesmo tempo com Anderson Silva, José Aldo e Lyoto Machida/Shogun. 

O período entre o final da primeira década do século XXI e o começo da década passada foi um auge, com Junior Cigano, Rafael dos Anjos e Renan Barão também sendo donos de cinturão. 

Publicidade
Supermercado Líder - Corrida Premiada

Isso mudou um pouco. A globalização do UFC trouxe lutadores de vários outros países e a nova geração de lutadores nacionais está encarando desafios ainda maiores. Charles Oliveira (do Bronx), no peso leve, é nosso único campeão no masculino atualmente. No feminino Amanda Nunes continua soberana e em duas categorias diferentes, no peso galo e peso pena.

Borrachinha pode ser um campeão?

A trajetória de Borrachinha no UFC foi meteórica, com cinco vitórias entre 2017 e 2019 para completar seu cartel que já tinha oito vitórias em oito lutas em outras organizações.

Mas a luta contra Israel Adesanya pelo cinturão não correu bem. O nocaute técnico do nigeriano, que segue sendo o dono da categoria, foi em uma luta inegável. Borrachinha chegou a apresentar que o consumo de uma garrafa de vinho na noite anterior para tentar dormir prejudicou seu desempenho.

A luta foi em setembro de 2020 e desde lá duas aparições do brasileiro terminaram canceladas, com o atleta reclamando publicamente das negociações com o UFC e pedir um aumento na recompensa.

A situação desconfortável foi solucionada com a luta contra Marvin Vettori, que também já encarou Adesanya e foi derrotado duas vezes, ambas por decisão. O italiano não poupa palavras antes da luta e em entrevista à Betway chamou o lutador brasileiro de “superestimado” e “bêbado”, lembrando da última luta de Borrachinha.

Não bastando isso, no papo com a Betway, site de UFC bets, Vettori até previu como e quando irá vencer seu oponente, estipulando o segundo ou terceiro round e um nocaute.

Com certeza o brasileiro não ficará calado, até porque não é sua característica, e essa luta deve pegar fogo antes e durante o encontro no octógono. 

Que brasileiro pode ter o cinturão?

Borrachinha ainda precisa de pelo menos duas lutas. Há alguém que está mais próximo do cinturão? Deiveson Figueiredo sem dúvidas é um dos grandes nomes do Brasil no UFC, mas depois de perder para Brandon Moreno no peso-pena em 2021, é de esperar que a terceira luta entre os dois demore um pouco.

Já Glover Teixeira tem sua luta marcada. No dia 30 de outubro, no UFC 267 em Abu Dhabi ele encara o polonês Jan Blachowicz pelo cinturão do peso-meio-pesado, a categoria que mais teve campeões brasileiros em sua história com três: Vitor Belfort, Lyoto Machida e Mauricio Shogun Rua.

Com 41 anos de idade, Glover pode ter seu ápice sete anos depois de perder a chance de ter o cinturão ao ser derrotado por Jon Jones por decisão. Depois daquela luta ele ainda perdeu para Phil Davis e precisou subir tudo de novo na organização. Desde a derrota para Corey Anderson em 2018, ele venceu cinco oponentes, com três finalizações e um nocaute técnico para ter nova chance de ser o campeão. Com 38 anos, Blachowicz também não é um garoto e provou que a categoria é sua até contra Israel Adesanya, que subiu de categoria para ver se conseguiria ser o dono também dos meio-pesados. Não deu certo.

O Brasil pode rapidamente voltar a ser uma força dominante nas categorias masculinas do UFC. Mas vai precisar suar para isso. 

1 COMENTÁRIO


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


1 Comentário
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Morais
2 meses atrás

Que bela bosta

Artigos relacionados

data-matched-content-ui-type="image_card_stacked"

Últimas Notícias