Publicidade
Anúncio: J3 Ar Condicionado em João Pinheiro - Manutenção, Higienização e Instalação de Ar de todas as marcas
Publicidade
InícioCidadeCaso Madalena: acusados colocam apartamento à venda para pagar indenização

Caso Madalena: acusados colocam apartamento à venda para pagar indenização

Ministério Público do Trabalho resgatou Madalena em novembro de 2020 e investiga prática de trabalho análogo à escravidão

Publicado em

Acusados de manter Madalena Gordiano em trabalho análogo à escravidão em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, o professor universitário Dalton Rigueira e a mulher dele, Valdirene Lopes, colocaram à venda o apartamento em que eles moravam na cidade para pagar a indenização determinada pela Justiça. A família pede R$ 600 mil pelo imóvel, que fica no centro da cidade.

Publicidade
Faça seu orçamento com a Lubrivaz em João Pinheiro

O advogado da família Rigueira, Brian Epstein, confirmou à reportagem que o apartamento já foi disponibilizado no mercado. “A venda é parte do acordo feito na Justiça, que determina que parte do valor da venda será usado no pagamento da indenização trabalhista da Madalena”, relatou.

A família fez um acordo em janeiro em que se comprometeu a pagar todo o valor devido a Madalena pelos 14 anos em que ela trabalhou na casa de Dalton, incluindo horas extras, 1/3 de férias, multa de FGTS, 13º salários, além de danos morais.

Publicidade
Nossa equipe está pronta para te atender - POP Pet Center João Pinheiro

O caso segue em investigação pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e o processo está em segredo de Justiça, segundo o advogado.

Relembre o caso

Madalena Gordiano, de 46 anos, foi resgatada em novembro de 2020 após viver por 38 anos em condições análogas à escravidão, divididos entre as casas de Dalton e da mãe dele. Segundo a denúncia, ela trabalhava como empregada doméstica sem salário, sem concessão de folgas e obrigada a cumprir jornadas longas e exageradas.

Publicidade

A trabalhadora doméstica era mantida num quartinho sem janela, tinha poucos pertences, não se sentava à mesa com os demais moradores da casa, mas ao ser interrogado, um dos acusados de mantê-la nessas condições disse que ela era “como se fosse da família”.

FonteO Tempo

Comentários


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


Publicidade
2 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Betânia
1 ano atrás

Porquê já não passam logo o apart pra ela como parte da dívida? Vai enrolar a justiça e a coitada vai e ficar sem nada. Recebendo merreca .

Ling ling
1 ano atrás

É só o começo do que essa família vai pagar daqui pra frente, perante a justiça dos homens e perante a de Deus.

Publicidade

mais artigos