CEMIG registra 106 ‘gatos’ de energia no ano de 2021 em João Pinheiro

Informação foi obtida pela reportagem do JP Agora junto à assessoria de comunicação da empresa

As ligações irregulares de energia, popularmente conhecidas como ‘gatos’, somaram prejuízo de mais de R$400 milhões em Minas Gerais no ano de 2021 para a CEMIG. Uma pequena parcela desse prejuízo milionário veio da cidade de João Pinheiro, onde a empresa constatou, somente neste ano, 106 ligações clandestinas sendo 67 em residências, 8 em comércios e 31 na zona rural.

O JP Agora conseguiu a informação, com exclusividade, após entrar em contato com a assessoria de comunicação da CEMIG. O assunto veio à tona depois da veiculação da reportagem que apresentou o prejuízo milionário de mais de R$400.000.000,00 (quatrocentos milhões de reais) somente com gatos.

O conjunto da Cemig e da Polícia Civil foi divulgado nesta terça-feira (14) apontou que a realização de fiscalizações por parte da companhia energética e a deflagração de seis operações em parceria com a polícia chegaram a grandes estabelecimentos que furtavam energia no Estado. A prática é popularmente conhecida como “gato”. A estimativa é de que, somado, o prejuízo gerado ultrapasse os R$ 400 milhões no ano.

Em 2021, a Cemig realizou 360 mil fiscalizações em todo o Estado. Após apuração, a empresa identificou gatos na rede elétrica, onde o prejuízo chegou a R$ 400 milhões. Desse total, R$ 330 milhões estão sendo cobrados dos responsáveis pela prática criminosa.

Outras seis operações de combate à prática de ‘gatos’ na região metropolitana também foram realizadas pela Polícia Civil, que resultou em nove pessoas presas, 26 irregularidades identificadas e R$ 2 milhões em prejuízos apurados. O gerente de medição e perdas da Cemig, Luiz Renato Fraga, destaca que o maior prejuízo é causado por grandes empresas e indústrias que insistem em praticar o furto de energia.

“A gente tem a questão da pessoa de baixa renda, é sim uma realidade. Mas há grandes empresas e grandes comércios envolvidos que a gente entende que não precisariam disso. Há outras soluções que podem ser adotadas, como o uso eficiente da energia”, afirma.

Com a ação criminosa do furto de energia, o prejuízo também fica para o consumidor que paga a conta de forma regular. Fraga destaca que se não houvesse furto de energia por parte de grandes empresas, a tarifa de energia em Minas poderia ser reduzida em torno de 2% para os consumidores.

“A Cemig mede toda a energia injetada em nosso sistema e tem toda a energia faturada, a diferença a gente chama de perda total. Dentro da perda total nós temos a perda técnica e a perda comercial que é o que nós fornecemos aos clientes e não foi faturado. A nossa estimativa é de que se a perda comercial tendesse a zero a tarifa de energia dos mineiros poderia ser reduzida em perto de 2%”, pontua o representante da Cemig.

Responsáveis

O delegado Roberto Alves Barbosa, da Polícia Civil, destaca que no caso de condomínios, a responsabilização pelo crime de furto de energia fica para o dono do apartamento ou para o administrador do local.

“Pelo código penal nós temos que individualizar a autoria do crime. Não podemos punir qualquer pessoa que supostamente tenha cometido o crime. E um condomínio, se a gente conseguir individualizar o imóvel que está fazendo a subtração, o proprietário do imóvel será penalizado. Se o condomínio todo estiver envolvido nesse desvio, serão o administrador e as pessoas que representam aquele condomínio”, disse o delegado.

Dessa forma, a Cemig orienta que ao alugar um apartamento, o proprietário passe a conta para o nome da pessoa que está alugando, para não ser responsabilizado em caso de alguma irregularidade ser encontrada.

Os indiciados podem responder pelo crime de furto de energia elétrica e em alguns entendimento, a Justiça pode classificar também como estelionato. Além de ressarcir a companhia energética, a pena prevista pode chegar a oito anos de prisão. Denúncias podem ser feitas à Cemig pelo telefone 116.

6 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


6 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Resolve
5 meses atrás

Acho engraçado viu a Cemig rouba da população aí acham ruim esse pequeno prejuízo kkkkkkkk são muito comédia foi🤣🤣🤣🤣🤣🤣

Jararaca Ensaboada
5 meses atrás

Brasileiro sendo brasileiro.

O. Galerão
5 meses atrás

Quem são os pilantras, gostaria de aprender a fazer.

Realidade
5 meses atrás

Estranho a Cemig mete a mão no povo e não gosta que faz com eles estranho! Mais acho que esse valor tá meio exagerado né tem muitos zeros aí não deve ter passado de 400 mil aí pra dar uma valorizada a acessória da Cemig fala 400 milhões! O golpe tá aí vai que quer?

Palhaçada
5 meses atrás

Comércio local fazendo gato? Nossa o comércio votou em peso no 17… Não sabia que os bons costumes e pela famíliao incluía gato em luz… Que dentro da legislação chama – se roubo.

Que coisa heim. 😱

Alceni Maria
5 meses atrás
Resposta para  Palhaçada

Qual os comercio local? Pode citar os nomes.

Artigos relacionados

Últimas Notícias