InícioCidadeEsquema de fraudes em licitações na Região Metropolitana de BH leva à...

Esquema de fraudes em licitações na Região Metropolitana de BH leva à operação policial em João Pinheiro

A operação investiga esquema de fraudes em licitações na Secretaria de Obras de Santa Luzia

Publicado em

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), com o apoio da Polícia Militar e da Polícia Civil, deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 10 de julho, a Operação Tudo Nosso, com o objetivo de desestruturar um esquema de fraudes em licitações existente na Secretaria Municipal de Obras de Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Parte da operação foi cumprida em João Pinheiro.

Foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão contra o secretário municipal de obras, a esposa dele, dois fiscais municipais de obras e empresários envolvidos nos crimes. Foi ainda cumprida decisão judicial, proferida pela 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da Comarca de Santa Luzia de afastamento das funções públicas do secretário e de um dos fiscais.

Um dos mandados foi cumprido na Secretaria de Obras, os demais nas residências dos investigados. Onze deles na região metropolitana de Belo Horizonte, um em João Pinheiro e outro na cidade de Goiânia.

A investigação, que apura a prática dos crimes de peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, teve início a partir de indícios de enriquecimento ilícito do secretário municipal de obras, que apresentava evolução patrimonial incompatível com o cargo que ocupa.

Foram então realizadas diligências, incluindo quebra de sigilo telefônico, solicitações de relatórios de inteligência financeira a órgãos de controle e investigações cibernéticas, que comprovaram as fraudes nas licitações e levaram ao requerimento das medidas cautelares cumpridas na data de hoje.

Pelo MPMG estão envolvidos na operação a 6ª promotoria de Justiça de Santa Luzia, os Centros de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público (CAO-PP) e de Defesa da Ordem Econômica e Tributária (Caoet), além do Grupo de Atuação Especial de Combate aos Crimes Cibernéticos (Gaeciber).

FonteMPMG
Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


7 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Ebinha
13 dias atrás

Edinho só seu prefeito não ganhar muita coisa vai aparecer.

Ebinha
13 dias atrás

Esses Show super caros, enquanto isso nossa cidade sofre com a saúde, segurança etc, tinha que fiscalizar esse secretaria da cultura ele também está meio rico

Ebinha
13 dias atrás

Acho que vai descobri muita coisa o que tem secretária rico ai meu Deus, que a renda não bate e tento cargo de confiança,

Eduardo
13 dias atrás

Esse prefeito agora a casa caiu!

Filhos da Anarquia
13 dias atrás

E quem é o secretário de obra ? Pq não coloca o nome dele ?

Revoltado
13 dias atrás

O que foi investigado em João Pinheiro, quem? Matéria fraca

Alceni Maria
12 dias atrás

Gente no meu entendimento está matéria é referente ao barro João pinheiro em Belo Horizonte.