InícioCidadeFazendeiros de João Pinheiro estão há 7 dias sem energia; advogado explica...

Fazendeiros de João Pinheiro estão há 7 dias sem energia; advogado explica que CEMIG pode ser responsabilizada

Bronca com a empresa é antiga e ficou pior nos últimos dias em razão da interrupção completa do fornecimento 

Publicado em

Produtores rurais da região da Canabrava, em João Pinheiro, estão há 7 dias sem energia elétrica, o que vem causando diversos prejuízos no funcionamento das fazendas. O JP Agora contratou um advogado, que explicou que a CEMIG pode ser responsabilizada, inclusive condenada a pagar indenização por danos morais. Entenda.

A falha na prestação de serviço, principalmente considerando que já fazem sete dias que o fornecimento foi cortado, é considerada grave por parte dos produtores rurais que entraram em contato com o JP Agora. Isto porque, é através da energia elétrica que a fazenda produz e, sem ela, até o consumo de água por parte do gado fica prejudicada. É o que apontou Adalton, produtor rural da região.

“A região das fazendas de Veredão na região da Canabrava está sem luz desde quarta-feira da semana passada e são várias as propriedades que estão sem energia, inclusive a minha fazenda, do Allan, do senhor Paulo Chical, pessoal do Supermercado BH e vários outros vizinhos estão sem energia. Não tem água, estamos carregando água no pipa para dar ao gado e a CEMIG prometendo que amanhã resolve e não resolve”, disse Adalton à reportagem do site.

Sofrendo com energia insuficiente e agora com a falta dela completamente, Allan Couto, que possui uma propriedade rural naquela região relatou o enorme prejuízo que vem sofrendo e já não sabe mais o que fazer pela falta de solução por parte da CEMIG.

“É complicado a questão da CEMIG, faltando muita energia, tensão muito baixa. A energia é ruim, eles tem que entregar para nós 220 volts, chega 190, 180, e aí não roda, não funciona. E quando funciona com tensão baixa, sobe a amperagem do motor e queima tudo. Motor de pivô, motor de tanque de leite, de ordenha, prejuízo absurdo. A gente não sabe mais como faz, não tem solução, fala que vai ter melhoramento e até hoje nada. Semana retrasada ficamos 4 dias sem energia, faltando uma fase, nesta semana de novo, está um caos”, lamentou Allan Couto.

Kátia também é produtora rural da região e destacou que não conseguiu obter informações pelos canais de atendimento da CEMIG, o que, segundo ela, torna ainda mais absurda a situação.

“A energia acabou na quarta-feira à noite durante aquela chuva na semana passada. Desde então, estamos sem energia até hoje. Eu não sei te falar mais nada porque eles não passam informações. A gente liga e toca aquela musiquinha o tempo todo e o atendimento não completa. São várias fazendas que estão sem energia. Uma fazenda que não tem rio, o gado depende totalmente da energia para beber água que vem do poço”, explicou Kátia à reportagem do site. 

A CEMIG pode ser responsabilizada a pagar pelos prejuízos e inclusive ser obrigada judicialmente a resolver o problema, foi o que disse o Advogado pinheirense Luis Fernando Coelho, que comentou sobre a responsabilidade da CEMIG quanto aos prejuízos sofridos pelos produtores rurais.

“Esses produtores podem ingressar judicialmente pedindo que a justiça obrigue a CEMIG a resolver o problema, uma vez que trata-se de um serviço oferecido unicamente por ela. Além desta obrigação de fazer, aquele produtor rural que tenha sofrido prejuízos por ocasião da falta de energia ou de energia insuficiente também pode ser indenizado. Ele precisa se atentar a documentar tudo, tanto a falta de energia quanto os danos, para que possa levar o caso à justiça. É recomendável, portanto, que procurem seus advogados de confiança porque é somente na justiça que a CEMIG pode ser responsabilizada por seus atos” destacou Luis Fernando Coelho ao nosso repórter em entrevista.

Em nota, a CEMIG ligou a falta de energia na região da Canabrava a uma queimada, mas a empresa não especificou qual seria o dia em que a queimada teria acontecido, considerando que as reclamações apontam que o fornecimento foi interrompido durante a chuva de quarta-feira. Confira, a seguir, a íntegra da nota enviada pela concessionária.

“A rede elétrica que atende essa instalação foi danificada por queimada. Vários postes e outros equipamentos foram destruídos. A Cemig está reconstruindo a rede elétrica.  Os trabalhos devem ser concluídos hoje, quando o fornecimento de energia será normalizado.”

O JP Agora seguirá acompanhando o caso de perto.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


3 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Bozo 22
7 meses atrás

Isso é que dá instalam pivôres a torto e direito sem ter uma energia que atende os mesmos as redes não suportam os gastos elevados das demandas de energias gastas na região.

Caroline
7 meses atrás
Resposta para  Bozo 22

Poie e quem n tem fica no prejuízo. Fruta dantas n tá diferente ñ energia ruim .E um absurdo o peço de quem tem pouco coisa q gasta energia e mil e 600 pra subi.A energia ja e ruim ai vem os bonitos e coloca pivôres os q n tem q leva no rabo.

joao
7 meses atrás

produtor rural produz nosso alimento ainda e taxado de malvado deveria ser atendido imediato