Fiscais resgatam 84 trabalhadores em condições análogas à escravidão em Paracatu

Trabalhadores rurais foram aliciados no Norte de Minas e no Maranhão. Parte do grupo ainda testou positivo para a Covid

Um grupo de 84 trabalhadores rurais foi resgatado em uma lavoura de milho na cidade de Paracatu, região Noroeste de Minas, por viver em condições análogas às de escravo. Eles foram aliciados em Porteirinha, no Norte do estado, e também no Maranhão para atuarem no Condomínio Santa Maria – a empresa também foi acusada de realizar tráfico de pessoas.

Conforme as investigações, os profissionais estavam abrigados em alojamentos improvisados e sem qualquer condição sanitária. Além disso, muitos foram contaminados pela Covid-19. “Nas frentes de trabalho, não tinham acesso a local para refeições e as necessidades fisiológicas eram feitas no mato por falta de sanitários”, relataram os auditores fiscais e o Procurador do Trabalho.

A fiscalização teve início no dia 8 de junho e contou com o apoio do Ministério Público do Trabalho (MPT), Auditoria Fiscal do Trabalho e Polícia Rodoviária Federal (PRF). Durante a ação, os auditores fiscais calcularam em quase R$ 636.000 as verbas relativas ao contrato de trabalho do grupo e ainda foi acordada uma reparação por danos morais de R$ 1.500 a cada um dos profissionais. Os valores já foram quitados.

Publicidade
Barca de Churrasco - Dom Churrasco - Valor R$ 60,00

“Os trabalhadores tiveram garantido o retorno aos seus locais de origem. Além disso, foram entregues 84 guias de Seguro-Desemprego do Trabalhador Resgatado emitidas pela Inspeção do Trabalho, em sistema próprio. Cada trabalhador terá direito a três parcelas do benefício”, contou um dos auditores.

Lista Suja do Trabalho Escravo

O Condomínio Santa Maria já foi flagrado em outras oportunidades por manter trabalhadores em condições análogas à escravidão. Por isso, o empregador faz parte da Lista Suja do Trabalho Escravo. As atividades da fazenda foram encerradas e as instalações dos trabalhadores interditada pela Vigilância Municipal.

Paracatu é a quarta cidade brasileira onde ocorre mais inspeções dos fiscais. Em todo o país, já foram resgatados mais de 50.000 trabalhadores em condições análogas às de escravo. As denúncias podem ser feitas, de forma remota e sigilosa, no Sistema Ipê.

FonteO Tempo

3 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


3 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
A que ponto chegamos.
5 meses atrás

Certeza que o “patrão” tá de caminhonete na garagem.

Sheilla
5 meses atrás

triste

A verdade, nua e crua.
5 meses atrás

Muito perigoso isso, tem que fiscalizar e aplicar multas pesadas, ou veremos a escravidao se instalar no Brasil novamente.

Artigos relacionados

data-matched-content-ui-type="image_card_stacked"

Últimas Notícias