Funcionária de posto é chamada de caloteira pelo patrão após desentendimento em Brasilândia de Minas

A discussão aconteceu por conta de um abastecimento de R$150,00 (cento e cinquenta reais)

Uma jovem trabalhadora de 27 anos acionou a polícia militar depois que se envolveu em uma discussão com o seu patrão na manhã da última segunda-feira, 14 de junho, em Brasilândia de Minas. Ela afirmou que foi chamada de caloteira pelo chefe por conta de um abastecimento não autorizado no valor de R$150,00 (cento e cinquenta reais).

Foi apurado pela equipe de reportagem do JP Agora que a mulher possuía uma dívida com o irmão do seu patrão e que ele teria ido no posto de combustíveis cobrar a nota no domingo. Os dois não conseguiram chegar a um consenso e o homem, então, resolveu abastecer R$150,00 (cento e cinquenta reais) de gasolina e anotou no nome da funcionária.

Na manhã da última segunda-feira, a funcionária procurou o patrão para contar o ocorrido. Neste momento, o homem não teria gostado da história e a chamou de caloteira. O chefe disse, ainda, segundo a versão contada pela mulher para a polícia, que ela deveria pagar a dívida ou, caso contrário, a mandaria embora.

Publicidade
Colégio Darcília Coímbra João Pinheiro - Matrículas Abertas

A mulher apontou testemunhas, mas todas não foram encontradas pela polícia antes da finalização da ocorrência, que foi registrada para providências futuras.

7 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


7 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
População de Bem
5 meses atrás

Polícia deveria ficar de cima dos donos dos postos de combustíveis esses sim lesam a população, se tem alguém caloteiro é o dono desse posto aí que prejudica uma população inteira. São 06 postos e dois donos que controlam o preço de todo combustível na cidade, o que em tese caracteriza crime de Formação de “Cartel”. Temos uma Usina de álcool praticamente dentro da cidade e o nosso etanol é um dos mais caros do país. Aos donos dos Postos, a denúncia será feita, e tenho certeza que nossa Polícia está de olho em vocês.

Diogo Charles
5 meses atrás

Aproveita a matéria é procura saber o porquê dos preço do combustível da cidade ser tão caro ! ?‍♂️?‍♂️

Ling ling
5 meses atrás

Kkkk, só em Brasilândia mesmo que você vê uma presepada dessa kkkk

Perseguição
5 meses atrás

Pagar a conta ela não quer.

Irônico
5 meses atrás

A mulher não paga e acha ruim ser chamada de caloteira? Agir c honestidade quer não né?! Brincadeira esse povo golpista! Kkk

Adalto Gomes Da Silva
5 meses atrás

infelizmente precos abusivos e combustível ruim

A verdade, nua e crua.
5 meses atrás

Cidade lixo, tem que passar o trator e plantar cerrado de novo. Passagem gratis para populacao ir para Siria ou Iraque.

Artigos relacionados

data-matched-content-ui-type="image_card_stacked"

Últimas Notícias