Publicidade
Só Vem OdontoCompany - 4000 pinheirenses cuidando do sorriso aqui
Publicidade
InícioCidadeFiscalização municipal realiza operação contra vendedores ambulantes sem registro em João Pinheiro

Fiscalização municipal realiza operação contra vendedores ambulantes sem registro em João Pinheiro

JP Agora apurou que 3 ambulantes de fora da cidade de João Pinheiro tiveram suas mercadorias apreendidas

Publicado em

A fiscalização fiscal da cidade de João Pinheiro realizou uma operação contra a ação de vendedores ambulantes irregulares na tarde desta quinta-feira, 05 de maio, no Centro da cidade. O JP Agora flagrou a abordagem de duas vendedoras de flores que estavam próximo ao Banco do Brasil. Nenhuma delas tinha autorização.

Publicidade
J7 Imobiliária - O sonho da casa está aqui

O repórter do site presenciou a abordagem das duas mulheres próximo ao Banco do Brasil e questionou os fiscais sobre a ação, quando então foi informado que o setor de fiscalização estava realizando uma operação contra os vendedores ambulantes que insistem em se manter na irregularidade. As advertências verbais, segundo os fiscais, não costumam surtir efeito.

“Existe a lei que proíbe ambulantes na cidade de João Pinheiro. Então, todo dia a gente vem e alerta que não pode. Pedimos por favor para saírem, mas eles não escutam. A gente vai dando oportunidade e chega um ponto que temos que fazer uma operação de recolhimento, apreensão desse material. O material fica à disposição deles, eles pagam uma multa de aproximadamente R$300,00 reais e pegam o material de volta. Esse valor pode ser multiplicado por 4 em caso de reincidência” explicou o fiscal.

Publicidade
Nossa equipe está pronta para te atender - POP Pet Center João Pinheiro

Uma das mulheres que estava sendo abordada chegou a reclamar da atitude dos fiscais dizendo que estava apenas trabalhando e que estava ali porque precisava. Ela disse que estava vendendo flores por ocasião do dia das mães. No entanto, a mulher não tinha a autorização, o que torna a comercialização irregular, principalmente porque existem diversas floriculturas na cidade que seguem todas as normas legais para o mesmo fim.

“Houve uma denúncia a partir das floriculturas locais de que a gente estava atrapalhando o comércio delas. A gente não vai poder mais trabalhar. As minhas plantas são plantas que eu cultivo, eu tenho o meu viveiro, eu tenho a minha estufa na minha casa, qualquer pessoa pode ir lá e ver. São plantas de cultivo próprio e, infelizmente, não vou poder mais. Eu pago as minhas contas em dia, minha casa é financiada, tenho que pagar a prestação da minha casa, tenho um filho de 4 anos, sou viúva, não tenho quem cuida, tenho que trazer meu filho para a praça passando vontade de ir no banheiro, beber uma água, de comer alguma coisa e não vou poder mais. A gente vê aqui tanta gente pedindo dinheiro, tanta gente pegando dinheiro dos outros. Tem tantos ciganos aqui que ficam pedindo dinheiro, bêbados, a gente está aqui trabalhando. Não estou pressionando ninguém, forçando ninguém a cobrar, estou colocando minha mercadoria que é uma coisa bonita, que a pessoa passa olha e quer comprar. Vou lá amanhã de novo e vou pedir para eles irem mais rápido com isso” disse Maria Rita Franco Rodrigues Lima à reportagem do JP Agora.

Publicidade

Juliana Vieira Moura, 35 anos mora na Cohab e também foi proibida de vender flores na praça pelos fiscais. Ela também quis registrar sua indignação. “Tem muitos anos que eu trabalho com plantas, mas na praça eu só venho em datas especiais. Sou feirante, eu pago R$100,00 para trabalhar lá na feira, eu estou lá todo sábado. Aqui na praça estão proibindo falando que estamos atrapalhando o comércio das floriculturas. Por que estamos atrapalhando? Nós não somos feirantes e pagamos para trabalhar lá? Por que a gente não pode trabalhar aqui também? Não entendo. Estou tentando ganhar o pão de cada dia, sobrevivendo, e eles ficam com isso. Tem espaço para todo mundo trabalhar. Por que vamos atrapalhar? As donas de floriculturas, não vou citar nomes porque muitas me conhece, já fui freguesa, para que fazer isso com a gente? O mesmo espaço que tem para a gente tem para vocês também” ressaltou Juliana.

O fiscal esclareceu a ela que os moradores da cidade de João Pinheiro podem requerer a autorização na prefeitura municipal, onde serão informados os locais que podem ou não venderem seus produtos de acordo com a lei. Tal medida, segundo ele, serve para, principalmente, frear a tomada do comércio por ambulantes de fora em prejuízo do comércio local.

Publicidade

“Hoje apreendemos mercadorias de 3 ambulantes, nenhum da cidade de João Pinheiro. É importante frisar que toda vez nós notificamos verbalmente. O pessoal já está ciente de que aqui não pode, mas insistem em ficar desobedecendo a lei. Infelizmente, o último ponto é a apreensão provisória da mercadoria” pontuou o fiscal.

O JP Agora apoia o comércio local. A redação do site noticiou tal fato para, acima de tudo, informar aos pinheirenses interessados na venda de produtos de qualquer natureza para que procurem a administração municipal para fazerem o cadastro, evitando, assim, que fiquem à margem da lei.

Publicidade

Comentários


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


Publicidade
15 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Mãe de aluno
4 meses atrás

Porque não fiscalizam os vendedores de drogas nas portas de escolas.eles podem?As mulheres que estão vendendo na praça ,estão trabalhando honestamente para sua sobrevivência, ninguém é obrigado a comprar, então deixa a pessoa trabalhar ,melhor do que roubar né.

Dilma José Lima
4 meses atrás
Resposta para  Mãe de aluno

É verdade. Mas eles não olham pra o lado das pessoas com mais necessitado, sempre eles olham pra o lado de classe alta. Eles não estão nem aí, quem está passando necessidade.

Bolaonaro2022
4 meses atrás

Podia fiscalizar os mototáxi também
Há muitos irregulares sem licença e sem habilitação.

Publicidade
Deixa o povo trabaia
4 meses atrás

Isso daí é covardia, tanta coisa pra prefeitura arrumar na cidade, vai correr atrás de quem tá trabalhando honestamente,, o cara tá de sol a sol pra ganhar o pão de cada dia aí vem um que não tem o que fazer pra apreender a mercadoria do trabalhador #covardia

BBB
4 meses atrás
Resposta para  Deixa o povo trabaia

Mas as empresas da cidade que pagam impostos, empregam pessoas, pagam aluguel, etc… É justo com elas, tem que olhar o lado deles também.

DELTON
4 meses atrás
Resposta para  BBB

essas empresas vendem redes …………….

DELTON
4 meses atrás

sera que a prefeitura vai fiscalizar o gemiraõ que vende carro em frente a sicoob do centro tamben ou vai fazer vista grossa como sempre

João Augusto
4 meses atrás
Resposta para  DELTON

Triste…

Última edição 4 meses atrás by João Augusto
Publicidade
VENDER A "PIRIQUITA" PODE? EMPRESTAR? E DAR?
4 meses atrás

NÃO GENTE. EU TÔ PENSANDO É NA MÃE DA MENINA QUE NEGOCIOU A FIA DE 12 ANOS PARA O HÔMI DE 40 “BRINCAR” COM A BICHINHA, TADINHA. ENQUANTO O SAFADÃO BRINCAVA COM A MENINA, A MÃE DELA TAVA “SAPECANDO” A PIRIQUITA NO OUTRO QUARTO AO LADO. ENTRANDO NO “EFE…”, COM GOSTO. MAS ISSO A PREFEITURA NÃO VÊ NÉ. PORQUÊ O TAL DE CONSEIO TUTELA-LAR NEM LÁ FOI. DISSE QUE NÃO TINHA MOTORISTA. PODE ISSO ARNALDO? ISSO ÊIS NUM FISCALIZA NÃO NÉ? AGORA, FISCALIZÁ AS MÃE DE FAMIA QUE TÁ TRABAIANO PRA DAR O QUE COMER AOS FIO, ISSO ÊIS QUER… Leia mais »

Zé mane
4 meses atrás

Só queria saber uma coisa , aquela praga de carreta q tá roda do na cidade enchendo o saco com o som e a buzina está regular né ? Quanto eles estão dando de retorno ao município ? Qual o valor eles estão levando para outra cidade ? Quantos empregos estão dando aqui ?

Publicidade
Aline Landin
4 meses atrás

deixa o povo trabalha gente melhor que tá roubando

João Augusto
4 meses atrás

É muita maldade. Se vivêssemos em um país desenvolvido, desprovido dessa imensa mazela social, até concordaria. Mas estamos em um país a deriva por causa de um desgoverno irresponsável. Saímos destruídos de uma pandemia mundial, enfrentamos, no momento, uma crise social sem precedentes, com milhões de desempregados, alguns buscando na informalidade, meios de sobreviver até o dia seguinte, e deparamos com um situação desumana dessa, que demonstra uma total fatal de empatia, um desamor sem medidas. Eu vejo essas pessoas lutando para sobreviver e me compadeço delas, quereria eu poder, diretamente, mudar sua situação e dar-lhes condições dignas para viver.… Leia mais »

Publicidade
Jp
4 meses atrás

Pq nao fiscalizao os vereadores alexandre da farmacia compro muito votos fazia ate reuniao pra dar dinheiro pro zoto

Antônio
4 meses atrás

Denúncia foi feita pela rede ABC Supermercados que não tem nada haver com vendedores ambulantes.

Publicidade
Cidadão
4 meses atrás

Se a lei não permite não pode! Nada justifica infelizmente!

mais artigos