InícioCidadeJustiça concede despejo e determina saída da FINOM até sexta-feira (14)

Justiça concede despejo e determina saída da FINOM até sexta-feira (14)

Caso a instituição de ensino não desocupe o imóvel, a justiça autorizou o uso de força policial

Publicado em

A Faculdade FINOM sofreu mais uma derrota na ação judicial que busca seu despejo do imóvel que ocupa na cidade de Paracatu. Desta vez, a justiça determinou o despejo da instituição até nesta sexta-feira (14), sob pena de uso de força policial em caso de desobediência.

Na recente sentença, o juízo reforça que “os responsáveis pela instituição não cuidaram de observar que na decisão que determinou o despejo em 6 (seis) meses, de forma voluntária. De acordo com a advogada do Centro Brasileiro de Educação e Cultura, Dra Patrícia Moreira, “a recente decisão resguarda o cumprimento de uma decisão judicial anterior, para a desocupação do imóvel coincidindo com o recesso semestral, em razão da falta de pagamento dos aluguéis desde o ano de 2019.”

Na sentença, o magistrado também adverte que, caso a Faculdade Finom/Tecsoma não desocupe o imóvel de forma voluntária a partir da próxima sexta-feira (14/06), o despejo pode ser feito com uso da força policial.

O que dizem os representantes da Faculdade

O portal Paracatu.net, de Paracatu, tentou contato com a advogada Dra Marilda Marlei, que representa a Faculdade FINOM Tecsoma, mas o pedido não foi atendido. O portal tentou contato, também, com o empresário Ruy Muniz que adquiriu a Faculdade e à época prometeu grandes investimentos na região, mas ele não retornou o contato, não respondeu às mensagens e bloqueou nas redes sociais.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários