InícioCidadeAdvogadas vão parar na UPA após consumirem capuccino com larvas em João...

Advogadas vão parar na UPA após consumirem capuccino com larvas em João Pinheiro

Em nota, o restaurante lamentou o ocorrido e informou que se colocou à disposição das clientes para resolver o problema

Publicado em

Três advogadas ingeriram capuccinos contaminados com larvas nesta terça-feira, 28 de maio, adquiridos em um restaurante / loja de conveniência localizado às margens da BR-040 em João Pinheiro. Pelo constrangimento e o risco à saúde, as advogadas irão processar a empresa. Em nota, o restaurante lamentou o ocorrido e informou que se colocou à disposição para compensar as clientes.

Segundo informado pelas advogadas à reportagem do JP Agora, duas delas foram ao restaurante / loja de conveniência e adquiriram três cappuccinos. Elas tomaram dois e levaram outro capuccino à terceira, uma advogada, que aguardou no escritório. Então, quando já havia ingerido metade do copo, a terceira advogada visualizou as larvas dentro do recipiente. As três retornaram ao estabelecimento imediatamente, quando confirmaram a presença de larvas no produto mediante contraprova.

“Como estávamos tomando no percurso até o escritório, nem olhamos para o copo. Quando chegamos, a terceira colega tomou a metade e parou, olhou para dentro do copo e viu as larvas. Retornamos imediatamente ao estabelecimento e pedimos a contraprova e a funcionária fez outro café do mesmo, o qual ficou comprovado que também tinha larvas”, disse a advogada, que pediu para não ser identificada.

A advogada relatou que passou mal assim que viu as larvas no copo da colega e que ficou bastante abalada com a situação. Sua colega que também bebeu todo o capuccino ligou para a irmã que é biomédica e ela apontou para o risco de contaminação do produto, orientando as três a procurarem ajuda médica imediatamente.  

“Uma outra funcionária veio e disse que a dona estava pedindo desculpas pelo ocorrido e perguntou se queríamos nosso dinheiro de volta. Dissemos que, além do dinheiro, queríamos que ela pagasse ao menos um vermífugo, mas em tom de descaso nos disseram que apenas com laudo médico e receita, sendo que ela sabia que nós não tínhamos ali naquela ocasião nem laudo nem receita. A dona sequer foi nos atender, então resolvemos registrar um boletim de ocorrência e estamos na UPA agora porque só Deus sabe o que esse tipo de coisa pode causar no organismo”, relatou a segunda advogada, que também pediu anonimato.

O que diz o restaurante

Como as advogadas preferiram manter o anonimato, o JP Agora também vai preservar o nome do restaurante pela razoabilidade. Em nota enviada à redação, a assessoria jurídica do estabelecimento destacou que em momento algum a empresa negou assistência às clientes, apenas solicitaram que apresentassem notas fiscais das despesas, o que foi prontamente negado pelas advogadas. Além disso, a empresa lamentou o ocorrido e informou que também se indignou com o ocorrido, informando que vai acionar a Nestlé, fornecedora do produto e responsável pela máquina para fazer o cappuccino, para providências.

“Comercializamos cafés e utilizamos máquinas da marca Nestlé e toda a manutenção desses equipamentos é realizada pela própria Nestlé. Nunca havíamos enfrentado uma situação semelhante, e garantimos que todas as medidas necessárias foram tomadas para resolver o problema imediatamente. Assim que fomos informados sobre a presença de larvas no café, mostramos às clientes a parte interna da máquina para que pudessem atestar as condições de higiene, que estavam adequadas. Importante destacar que todos os produtos da Nestlé utilizados estavam dentro do prazo de validade. Apesar de nossa prontidão em resolver a situação, a cliente recusou apresentar documentação requerida e declarou que nos processaria. Reforçamos que nunca nos negamos a ressarcir qualquer prejuízo, apenas precisamos seguir os procedimentos legais para fazê-lo corretamente”, destacou a nota enviada à redação do JP Agora.

Por fim, a empresa reiterou que lamenta o ocorrido e garantiu o compromisso com o bem-estar dos clientes. “Estamos disponíveis para quaisquer esclarecimentos adicionais e continuamos à disposição para atender a todos com transparência e respeito. Nossa loja possui câmeras em todos os ambientes, garantindo a veracidade de nossas ações e a segurança de nossos clientes. Por fim, lamentamos profundamente o ocorrido e reforçamos que todas as medidas serão tomadas para que situações como essa não voltem a acontecer. Agradecemos pela compreensão e confiança depositada em nosso estabelecimento.”

O que diz a Nestlé

Em nota enviada na manhã deste sábado, a Nestlé garantiu que seus produtos atendem a todos os padrões de segurança e qualidade. Veja a nota na íntegra.

“A Nestlé tem a qualidade e segurança de seus produtos como prioridade e atende estritamente aos padrões exigidos pelas legislações, além de todas as normas internas e externas. Para as bebidas da linha Nestlé Professional, a empresa recomenda que, após abertos, os produtos sejam utilizados nas máquinas Nestlé Professional em até 30 dias. Além disso, os estabelecimentos devem seguir as orientações de conservação e armazenamento destacados na embalagem. A Nestlé reforça que a assistência gratuita inclui peças de manutenção preventiva e corretiva nas máquinas e que é de responsabilidade do cliente/ponto de venda fazer a limpeza diária do equipamento instalado no ponto de venda. Assim que tomou conhecimento do ocorrido por meio da mídia local, a Nestlé entrou em contato com o estabelecimento para as devidas providências e orientações”, disse a nota.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


11 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Trabalhador
1 mês atrás

É uma situação muito complicada, mas não é o fim do mundo! Tem Tanta gente comendo comida Estragada do lixo com larvas todos os dias , infelizmente! Que essa a advogadas reflitam isso !
Esse estabelecimento tem que passar por uma vistoria com urgência que nojeira.

Kkkk
1 mês atrás
Resposta para  Trabalhador

Eles comem lixo de graça, kkkk aqui elas pagou pra beber o capucino

Falando verdade
1 mês atrás

Pq ninguem fala que foi no girafas

Eduardo Mendes! Ponto Certo
1 mês atrás

esses restaurantes na beira Br só isso gente.

Du
1 mês atrás

falou tudo Dudu concordo com você

Du Porto
1 mês atrás

falou tudo Eduardo

Gomes Almeida
1 mês atrás

Tem fechar esse estabelecimento e passar por rigorosa analisa em tudo para saber si tem mais coisas perdidas.

João Pi
1 mês atrás

Ue, no trajeto até a o outra advogada, os mosquito pode ter despejado as larvas, tinha q ter conferido no estabelecimento, vai perder a causa por conta disso kk

Vander
1 mês atrás
Resposta para  João Pi

Na matéria diz que pediram outro (a contraprova e também tinha.
ainda bem que nem tomo essas porcarias.kkk

Anônimo
1 mês atrás
Resposta para  João Pi

Pelo o que eu li aí na reportagem, elas voltaram no estacionamento e pediram outro para comprovar, e estava com as larvas também

Bolsonaro
1 mês atrás
Resposta para  João Pi

Voltaram e fizeram outro que tinha lavras também,e aí?tem que ler a matéria pra comentar.