Advogados pinheirenses que atuam no caso de família assassinada por Lázaro falam sobre o caso

Jamir Andrade e Iuri Furtado estiveram no Incra 9 e conversaram com o delegado do caso da chacina da família Vidal

Na tarde desta terça-feira, 29 de junho, o JP Agora entrevistou os advogados Jamir Andrade e Iuri Furtado, constituídos pela família de Cleonice para acompanhamento das investigações e abertura do inventário da família, sendo que a sucessão está sendo feita de forma consensual entre as duas famílias, de Cleonice e de Cláudio. Os dois causídicos deram detalhes do caso que chocou o Brasil no início deste mês.

Jamir Andrade contou, inicialmente, que a família da pinheirense Cleonice Marques procurou o escritório dele e do seu sócio Iuri Furtado para que os dois providenciassem a sucessão e acompanhamento das investigações, principalmente depois da captura e morte de Lázaro Barbosa, autor da chacina que vitimou toda a família.

Os advogados foram até o Incra 9 na manhã de ontem (28) e receberam a notícia da captura e morte de Lázaro junto com as famílias de Cleonice e Cláudio. O sentimento, assim que a notícia chegou via telefone, foi de alívio e justiça, segundo Jamir Andrade.

Publicidade
Jantinha Dom Churrasco João Pinheiro - Jantinha com Churrasco

“Foi um momento de dois sentimentos para as duas famílias. Alguns familiares chegaram a se emocionar de alívio depois de tantos dias de buscas. Por outro lado, eles sentiram tristeza pelo fato do Lázaro ter sido morto, o que dificulta a elucidação completa dos fatos, principalmente quanto a motivação e o possível envolvimento de outras pessoas” contou Jamir Andrade.

Mais tarde, os advogados foram até a 24° Delegacia de Ceilândia e conversaram com o Delegado responsável pelas investigações. Iuri Furtado contou que, apesar de ser muito cedo para tirar qualquer conclusão, os indícios apontam para varias linhas de investigação.

“Faremos o acompanhamento das investigações futuras quanto a motivação do crime que chocou todo o Brasil. Já se sabe que as carteiras das vítimas não foram levadas e, além disso, a família encontrou dinheiro na casa depois do crime. Ainda, Lázaro ficou aproximadamente 10 minutos na residência, indícios que podem indicar que houve uma motivação, que será investigada”, pontuou Iuri Furtado.

Detalhes do local do crime

Jamir Andrade e Iuri Furtado estiveram no local do crime na tarde de ontem (28). Na entrevista concedida ao JP Agora, os advogados deram detalhes sobre a chácara, onde se reuniram com a família de Cláudio e de Cleonice.

“Geograficamente, tem um espaço cercado de um muro muito alto que dá acesso à chácara em si. 33 ha, onde parte foi vendida, mas a grande maioria pertence à família Vidal” contou Jamir.

Parte da área total, cerca de meio campo de futebol, é cercado por um muro muito alto. Neste cercado, toda a família se reunia para confraternizações. Bem próximo a esta área, fica a residência onde o crime aconteceu.

“Os irmãos se reuniam lá para encontros familiares. Do lado de fora desse muro, existe uma casa menor. Esta é visivelmente uma casa mais simples, e aí quando você adentra no portão já tem acesso ao alpendre. Uma porta veneziana cerca o alpendre da residência em si. Do lado da fechadura, um bloco de vidro estava quebrado. Então, tivemos acesso ao interior da casa onde tudo aconteceu.”

O advogado Jamir Andrade deu detalhes, ainda, da conversa que tiveram com o Delegado da 24° Delegacia de Polícia que investiga o crime. As informações passadas dão conta que a polícia direcionará todos os esforços para descobrir a motivação do crime e o possível envolvimento de outras pessoas.

“Em conversa, ele nos disse que as atenções estavam todas voltadas à captura do Lázaro. Agora, com a sua morte, as investigações serão alocadas à procura da motivação. O delegado afirmou que é cedo para dar uma linha de raciocínio para as investigações, mas a família entende que tudo pode ter acontecido, porém, não descarta as possibilidades de roubo ou crime encomendado, já que Lázaro não levou dinheiro e ficou pouco tempo na casa. A família fica com essa grande interrogação. Por que foi tudo muito rápido?”

As dúvidas continuam e só serão sanadas através da investigação policial. A morte de Lázaro pode ter dificultado os trabalhos, mas o Delegado responsável pelo caso garantiu para os advogados que a polícia não poupará esforços para que todos os questionamentos sejam resolvidos.

4 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


4 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Sinclair
5 meses atrás

??

Capitão do exército
5 meses atrás

Cada um aproveita a oportunidade que pode e faz a propaganda sua propaganda.

Eu entendi seu ponto de vista
5 meses atrás
Resposta para  Capitão do exército

Certinho, propaganda é a alma do negócio, toda oportunidade que tiver para divulgar o seu trabalho faça.

Lidiane
5 meses atrás

politica

Artigos relacionados

data-matched-content-ui-type="image_card_stacked"

Últimas Notícias