Publicidade
Chegou seu momento - Faculdade Cidade de João Pinheiro
Publicidade
InícioCidadeApós construção de bebedouro de concreto, JP Agora ouve relojoeiro que alimenta...

Após construção de bebedouro de concreto, JP Agora ouve relojoeiro que alimenta pombos no Centro de João Pinheiro

Paulo é apaixonado por animais e considera válida e legal sua conduta em alimentar os pombos na principal praça da cidade

Publicado em

A presença cada vez maior de pombos nas praças públicas de João Pinheiro voltou a ser pauta nas redes sociais depois que Paulo, relojoeiro estabelecido ao lado da Escola Estadual Presidente Olegário, construiu um bebedouro na Praça Major Mendonça em João Pinheiro. A conduta do homem em alimentar os pombos vem sendo questionada há meses. Procurando entender a história sob a ótica de Paulo, a reportagem do JP Agora o procurou para uma entrevista. Confira, a seguir, o que o relojoeiro tem a dizer sobre o assunto.

Publicidade
Sicredi - Unidade inaugurada em João Pinheiro

No início de fevereiro, o JP Agora ouviu o relato da Engenheira Ambiental Karen Corrêa, que alertou sobre o perigo trazido pelos pombos, principalmente para as crianças da Escola Estadual Presidente Olegário. Na ocasião, o assunto já era bastante comentado nas redes sociais e a maioria dos pinheirenses se posicionaram contra a atitude do relojoeiro Paulo em alimentar as aves. Então, depois que Paulo construiu um bebedouro em alvenaria na praça, o JP Agora o procurou para uma entrevista.

O encontro com a reportagem aconteceu na própria Praça Major Mendonça, onde Paulo é visto todos os dias alimentando os pombos e vários cachorros de rua que se aglomeram no local. O pinheirense, de 53 anos, não poupou papas na língua ao se dirigir àqueles que são contra sua opinião e, principalmente, contra sua atitude em alimentar as aves. A primeira observação feita por ele foi questionar se aqueles que o criticam estão isentos de serem vetores de doenças.

Publicidade
J7 Imobiliária - O sonho da casa está aqui

“Agora me diz, eles não são vetores de doenças também? Eles não transmitem doenças para nós também? Podem transmitir a lepra, AIDS, hepatite, hanseníase, a gripe, muitas doenças contagiosas, eles não podem transmitir para nós? Será que eles ‘vai’ querer se sacrificar quando pegar essas doenças? O que eu faço pelos bichinhos é por amor a eles e a Deus. O que essas pessoas faz é por ódio aos bichinhos e a mim. Quem faz por amor está servindo a quem? E quem faz por ódio serve a quem? Certamente não é ao meu Deus” iniciou Paulo, visivelmente insatisfeito com os questionamentos que vem recebendo da população pinheirense.

Apesar de questionável, o amor de Paulo aos animais é visível. Ele chama os pombos de “pombinhos” e, do seu depoimento, se denota que ele não está muito preocupado em se colocar contra todas as pessoas que o criticam porque, no seu entendimento, sua atitude é legal e não contraria nenhuma lei.

Publicidade

“Essa água aqui não é só dos pombinhos, é dos cachorrinhos, é dos gatinhos a noite, é do canarinho amarelinho, é do pardal, é da fogo-apagou, é do bem te vi, é do sabiá que mora aqui na praça, é muitos bichinhos que bebem água aqui e essas pessoas tem o prazer de tirar a água desses bichinhos e agora essa pessoa que faz isso é pessoa de Deus? Me diz. Eu quero que a população de João Pinheiro coloca na balança e olha se essas pessoas quiserem tirar a água e a comida dos bichinhos, se isso é pessoa de Deus” disse Paulo à reportagem do JP Agora.

Paulo segue defendendo sua atitude apontando que é comerciante no mesmo endereço há mais de 20 anos e que sempre tratou dos animais. Neste ponto da entrevista, o relojoeiro engrossou ainda mais seu discurso contra aqueles que criticam suas atitudes.

Publicidade

“Sempre tratei dos animais. Eu trato não é só dos pombinhos, eu trato de todos os passarinhos, cachorrinhos, gatinhos, trato de todos os animais. Eu estou dentro da lei porque a lei diz que não se pode maltratar animais, é crime e dá cadeia. Eu não maltrato, eu cuido. Agora essas pessoas são pessoas desinformadas, despreparadas, eles disse que a sujeira da praça era dos pombinhos, olha onde eles comem se tem sujeira, as andorinhas foram embora. Olha lá agora se a praça está suja. As pessoas que fez toda essa mentira são pessoas falsas, mentirosas” disse o relojoeiro.

A respeito das doenças comprovadamente transmitidas pelos pombos, Paulo disse que dá remédios misturados à canjiquinha de tempos em tempos para cuidar da saúde dos “pombinhos”. Ele disse, ainda, que as doenças também são transmitidas pelo frango.

Publicidade

“As doenças dos pombinhos, muita gente não sabe, é a mesma doença do frango que comemos todos os dias. Só que o frango toma nove vacina antes dele nascer dentro do ovo ainda. Muita gente não sabe, essa canjiquinha eu coloco vermífugo a cada 40, 50, 60 dias. São vermifugados tanto o pombinho, o canarinho, o fogo-apagou, todos os passarinhos que comem aqui tomam vermífugo a cada 40, 50, 60 dias para não terem doenças. Agora, se você tiver bem alimentado, você não vai ter doença, você vai ter imunidade. Mas se você tiver sem alimento, você vai perder imunidade, ai sim você vai adoecer. O pombinho bem alimentado e bem tratado ele não traz doenças. Essas pessoas trazem mais doença para nós do que o pombinho, que tem a mesma doença do frango. As andorinhas chegaram e os pombinhos pagaram o pato. Essas pessoas fazem isso por ódio e eu faço por amor” finalizou Paulo.

Para a reportagem do JP Agora, ficou claro que Paulo não vai parar de alimentar os pombos, já que, para ele, sua atitude não é errada e não contraria nenhuma lei. A despeito disso, a redação do JP Agora realizou uma pesquisa científica que não deixa dúvidas de que os pombos são, sim, considerados praga urbana, endossando ainda mais a entrevista concedida pela Engenheira Ambiental Karen Corrêa no início de fevereiro. Confira, a seguir, um breve resumo sobre o tema.

Publicidade

Pombos são considerados aves sinatrópicas e o próprio Ibama recomenda o manejo delas

Após breve pesquisa na internet, a redação do JP Agora conseguiu encontrar inúmeros estudos, artigos científicos, monografias e até mesmo cartilhas recomendativas de prefeituras de todo o Brasil apontando que os pombos devem ser considerados como praga urbana. Isto porque, bem resumidamente, a espécie se adaptou muito bem ao ambiente urbano em razão do fácil acesso a alimentos e pela falta de predadores naturais.

Assim, em razão do risco que podem oferecer à uma sociedade, o que não faltam são pesquisas que apontam as doenças que são transmitidas pelas fezes do animal, que é capaz de comer de tudo que vê pela frente, o que, em uma cidade, pode significar restos de lixos de toda ordem. A forma mais comum de ser contaminado, nestes casos, é através das vias respiratórias, com a inalação das fezes secas. Outra maneira é por meio dos piolhos, comumente encontrados nestas aves.

Publicidade

Neste sentido, o JP Agora encontrou um livro digital publicado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul em 2018 que apresenta, de forma acadêmica, justificada, citando fontes e autores consolidados sobre o tema, os riscos que os pombos podem apresentar e, ainda, traz as formas como as aves podem ser manejadas a fim de evitar a proliferação das doenças transmitidas por elas.

Na obra, os autores apontam que as fezes secas dos animais, quando já não podem ser vistas a olho nu, representam o risco maior à população porque ataca as vias aéreas, formando uma fina poeira que transporta fungos perigosos, como o Histoplasma capsulatum e Cryptococcus neoformans que causam doenças como a histoplasmose e criptococose.

Publicidade

O guia destaca, pormenorizadamente, todas as doenças que são atribuídas aos pombos e a íntegra do livro pode ser acessada aqui. A respeito do manejo das aves, todos os sites visitados pela redação do site apontam que é proibido matá-las. Empresas especializadas realizam os procedimentos de modo a evitar problemas, os quais se iniciam com a retirada dos ninhos e, principalmente, com a exclusão de todas as fontes de alimento possíveis do local, o que deve acontecer de forma gradativa no caso de serem alimentados por humanos.

A questão da alimentação das aves é o ponto central para a reprodução desenfreada da espécie, já que as aves aprendem o local onde são alimentadas e fixam moradia nas redondezas. Assim, sem que cesse a alimentação artificial delas, elas nunca vão embora, como é o caso de João Pinheiro.

Publicidade

A atitude de Paulo em alimentar as aves da praça, apesar de justificável sob a ótica de proteção aos animais, não é saudável para a população pinheirense e muito menos para as próprias aves. Todas as espécies citadas por ele como “beneficiárias” da ração e da água que ele coloca verdadeiramente desaprendem a viver em seu habitat natural, desaprendem a comer sozinhas e deixam, inclusive, de cumprir com seus vários papéis ambientais.

O JP Agora esclarece, por fim, que não conta com nenhum especialista no assunto em seu quadro de colaboradores mas, mesmo assim, conseguiu levantar todo esse material ora disponibilizado a seus leitores com uma rápida pesquisa de 30 minutos. A redação do site, assim como toda a população de João Pinheiro, aguarda por uma atitude das autoridades locais a respeito do tema.

Comentários


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


Publicidade
31 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Prefeitura de João Pinheiro
8 meses atrás

Parabéns estamos com você

Tinny
8 meses atrás

Esse cidadão pode ter a melhor das intenções, mas ele terá que parar de tratar dos pombos imediatamente, está botando muitas vidas em risco, inclusive a dele
Não tem tratamento pra doença do pombo e pode levar a morte muito rapdamente e atinge pessoas de todas as idades.

Publicidade
Dioneia Toledo
8 meses atrás

A 16 anos eu vejo e parabenizo esse homem que cuida com amor dos bichos dessa praça.Os animais amam ele pq ele é do bem! E tem gente que nao pratica o bem e ainda critica.Que mundo miserável é esse que quando alguem faz o bem irrita pessoas?gente! O cara faz tudo com o dinheiro dele!João Pinheiro ja tem uma vereador que se ver um cachorro de rua passa por cima de caminhonete ou onibus e não olha pra traz(Eli Correia) famoso por maltratar animais, e agora o povo esta incomodado com quem tem misericordia dos bichos! ALÔ PINHEIRENSES!Vamos ajudar… Leia mais »

Sagr
8 meses atrás

Tem que cuida
Mas tem que ter o controle
Sai mtos
Não existe o controle

Publicidade
Diogenes de sinope
8 meses atrás

Indivíduo irracional , pq ele não compra uma roça e cuida desses animais lá. Afinal esses pombos vive fazendo coco, e a praça é um lugar urbano que muitas pessoas se alimentam ali , o indivíduo que ingerir essas fases pode contrair criptococose uma doença mortal . Conscientize esse cidadão.

Dr Demétrio
8 meses atrás

Tanta coisa q temos q preoculpar , e essa cambada de ignorante fazendo essa algazarra toda por conta de uma pessoa q só faz o bem pros animais . tanta coisa pra vcs criticarem aqui . vou citar algumas ‘ agua da copasa , roubos , animais na BR quase provocando acidente , muitas coisas mais . ai vem um jornalzinho fulera desae aqui pra postar um cidadão q não tá fazendo nada q infringe a lei . pelo amor de Deus gente . se a Praça tá com mau cheiro , é devido as ANDORINHAS q graças a deus… Leia mais »

Publicidade
DELTON
8 meses atrás

Vou mudar para essas praças de joão pinheiro tem agua boa i nao precisa pagar aluguel ate quando kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Falei tô leve
8 meses atrás

“Gosta do bichinhos”
A pessoa que anda com uma corda puxando seu cachorro quase o enforcando

Verdade Seja Dita
8 meses atrás
Resposta para  Falei tô leve

Agora pronto, vai deixar tua mãe presa em casa agora?!? Deixa ela passear em paz com ele oxe

Dioneia Toledo
8 meses atrás
Resposta para  Falei tô leve

Mentira sua! Ele cuida muito bem dos bichos a muitos anos.Ele é do bem voce não é!

Publicidade
Simone
8 meses atrás

Pombo atrai doença,faça uma consulta e verá.

Niltinho du ganga
8 meses atrás

Prefeitura e polícia ambiental precisa sim agir com urgência sobre o assunto pois coloca a população em risco.,
Isso é caso de saúde pública….
Bela matéria Jp parabéns.

Publicidade
Solange Galvão
8 meses atrás

Sou a fovor desse rapaz penso igual ele também

Alberto
8 meses atrás

É um absurdo , acabou com o sussego do local ,demorou tantos anos ,pra chegar no ponto que está as árvores ali e agora deixa acabar ,tem que tomar uma atitude urgente

Publicidade
boaaaa jp
8 meses atrás

arrasou jp na matéria. vamos ve se agora as aotoridades tomam providencias

Anonimo
8 meses atrás

Parabens 👏👏👏

Publicidade
Filhos da anarquia
8 meses atrás

Só vai ter que lavar a praça de vez enquanto pq lá está um mau cheiro de puleiro putz .

Digo
8 meses atrás

Se ele gosta tanto dos pombinhos assim leva pra casa dele

Publicidade
Digo
8 meses atrás

Proveita fala pra ele levar os cavalos e os bois pra casa dele tbm

brasileiro
8 meses atrás

Não é só alimentar, deveria higienizar a praça tambem ,o mal cheiro de fezes e a sujeira e perceptivel e o risco de patologias iminente.A praça foi feita para pessoas mas quem vai sentar num banco de praça assim? Também gostamos de bichinhos mas há de avaliar, esta situação esta ficando fora de controle,deveria redirecionar os pombos para uma área rural .

Publicidade
Pererê ké fumá
8 meses atrás
  • O correto seria o combate consciente e gradativo dos pombos, especificamente. Quanto ao honrado cidadão que gosta de dar milho aos pombos, sugiro que ele compre um tamagushi em alguma loja de brinquedos antigos. Fácil de mexer, barato, se der doença é muito pouca, além de ninguém lembrar que existe é fofinho! Puta dor de cabeça esses pombos podem causar em nossa sociedade. Se é que não está causando! São ratos voadores! Deixa isso pra lá e bota as pomba pra subir… esse gosta d`uma pomba, o maior manja pomba da região!
Herculano Enrolado
8 meses atrás

Pimenta nos olhos dos outros é refresco. Querer impor a uma comunidade um prazer pessoal causando ao conjunto qualquer tipo de transtorno na minha opinião é falta de caráter. Pombos são ratos providos de asas caso algum desinformado não saiba.

Publicidade
Galo Doído
8 meses atrás

Isso e sintomas de caduquice.🤣🤣🤣🤣🤣

Só mais um cidadão sendo enganado
8 meses atrás

Completamente sem noção e sem senso c as outras pessoas , atitude estúpida desse Paulo ainda vem querer falar de deus uma pessoa q não tem um pingo de empatia c os outros cidadãos e principalmente com as nossas pequenas crianças da escola Presidente Olegário, otario msm

Publicidade
Xavier
8 meses atrás

Esse cara deve ser internado em um hospício mais rapido.

Silvio
8 meses atrás

B.dia , isto é frustração desse indivíduo, porquê não adquire um terra e leva todos esses animais para lá . Isso é questão de saúde pública, Vigilância Sanitária e zoonoses. Além da pertubacão do sossego causada pelo barulho dos cães na casa dele , aí já passa ser caso de polícia também. Deveria ele adotar uma , duas ou três crianças, iria ter um gasto menor e ter alguém como companhia no seu futuro.

Publicidade
Mírcia Adriana de Oliveira Melo
8 meses atrás

Agora quero saber da atitude do MP prefeitura. Vcs deveriam fazer uma reportagem com o MP e prefeitura .

SEI LÁ
8 meses atrás

Como espantar pombos?

  1. Use rede antipombos. Essas redes são feitas de nylon e você pode usar para cercar a sua janela ou varanda, impedindo assim a passagem dos pombos para dentro. …
  2. Utilize refletores. …
  3. Faça superfícies inclinadas. …
  4. Obstrua o lugar. …
  5. Utilize repelentes. …
  6. Coloque estátuas de predadores nas varandas e janelas.
Publicidade
Povo tapado
8 meses atrás

Contem pra essas pessoas que aquele fedor que tava ah um tempo atras não é de pombo, pombo não dorme em arvore. Vão estudar bando de burro

Tayná Pereira
8 meses atrás

Sempre achei bonito ele cuidando dos animais nas praças, agora pessoas reclamando da atitude dele por que q não vão atrás dos donos de vaca, cavalos no meio da cidade sendo que e proibido devido provocar acidentes graves. As pessoas hoje em dia não preocupa com os animais de rua e quando veja que outra pessoa tem o amor em cuidar quer atrapalha esses pombos sempre teve agora nois seres humanos invadimos o lugar deles e quer reclamar ainda.

Walmir
8 meses atrás
Resposta para  Tayná Pereira

Concordo amigo resumindo Bolsonaro 2022 Lula ladrão na cadeia

Publicidade

mais artigos