InícioCidadeDiretora e vice-diretores da Capitão Speridião são exonerados; investigação aponta suposto dano...

Diretora e vice-diretores da Capitão Speridião são exonerados; investigação aponta suposto dano ao erário

Exoneração foi publicada no Diário Oficial do dia 06 de junho de 2024

Publicado em

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) exonerou, no início de junho, a diretora e os vice-diretores da Escola Capitão Speridião, em João Pinheiro. Ester Lopes Cançado, Dener Rodrigues e Jaqueline Gonçalves foram afastados de suas funções após a instauração de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) que tramita desde o ano passado e apura possíveis irregularidades e danos ao erário. A decisão foi oficializada no Diário Oficial e se deu em meio a um contexto de denúncias e suspeitas de condutas inadequadas.

O ato 1359/2024, publicado na página 27 do Diário Oficial do dia 06 de junho, exonerou Ester Lopes Cançado da função de diretora da escola. O ato 1360/2024 exonerou Dener Rodrigues da sua função de vice-diretor e o ato 1361/2024 exonerou Jaqueline Gonçalves Moreira da mesma função.

Em nota emitida no dia 10 de junho ao JP Agora, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) informou que os servidores mencionados estão ainda estão sob investigação através do Processo Administrativo Disciplinar (PAD), atualmente em análise pelo Núcleo de Correição Administrativa (Nucad). 

A exoneração, portanto, aconteceu antes da finalização do PAD em razão da regra da Secretaria de Estado de Educação que estipula a exoneração automática quando o gestor permanece afastado por mais de 60 dias. “A SEE/MG enfatiza que repudia e não tolera quaisquer desvios de conduta por parte de seus servidores, os quais são investigados com rigor, respeitando os princípios da ampla defesa e do contraditório”, finalizou.

Os servidores em questão respondem a um processo administrativo desde o ano passado. Em 28/12/2023, foi publicada a primeira portaria suspendendo-os por 30 dias de suas atividades. À época, a Secretaria de Estado de Educação informou que o afastamento se deu por possível conduta inadequada dos servidores e que o Processo Administrativo se encontrava em fase de instrução processual.

No dia 01/02/2024, uma nova decisão foi publicada novamente no Diário Oficial, determinando um novo afastamento por 30 dias, desta vez devido a possíveis condutas inadequadas e assédio moral. No dia 06/06/2024, a exoneração dos servidores foi publicada em razão da regra da exoneração automática.

É importante destacar que os servidores foram exonerados de seus cargos comissionado e continuam ainda de posse dos cargos efetivos como professores do estado. A decisão sobre perda do cargo efetivo ou não ainda deve ser julgada pelo NUCAD – Núcleo de Correição Administrativa.

Segundo apurado pelo JP Agora na última semana, os servidores são investigados por não cumprirem as cargas horárias devidamente, causando dano ao erário público. A princípio, a investigação teria apurado que os servidores receberam recursos sem cumprir as cargas horárias estipuladas. Outras denúncias de assédio moral cometidas dentro da escola pela diretora Ester também foram protocoladas.

O que dizem os servidores

Dener Rodrigues, em resposta ao JP Agora disse que enviou um requerimento à Superintendência Regional de Ensino em março de 2024 pedindo sua dispensa, que foi concedida no dia 06/05 através da portaria publicada no Diário Oficial. Ele explicou que o Processo Administrativo é devido a ter ficado dois meses e meio sem assinar o livro de ponto e por ter dado quatro aulas de agosto a dezembro de 2022 em horário que deveria exercer o cargo de vice-diretor.

“Eles me dispensaram no dia 06/05 por eu estar em um PAD (Processo Administrativo Disciplinar) por ter ficado dois meses e meio em 2023 sem assinar o livro de ponto e por ter dado quatro aulas de agosto a dezembro de 2022 no meu horário de vice-diretor quando, numa ação do Sind-UTE, não poderia convocar professores. Aceitei as aulas porque eu compensava o horário de vice-direção durante o dia na Unidade Prisional de João Pinheiro (segundo endereço da Escola Capitão). As aulas foram aprovadas no sistema, no quadro de horários e a Inspeção estava à par da situação, mas no ano passado, resolveram validar como erro.”

Dener finalizou sua resposta reiterando que a escola é referência em gestão e qualidade e compromisso com o ensino e seguiu dizendo estar em paz pois exerceu sua função com excelência. “Estou tranquilo e em paz. Exerci com excelência minhas funções enquanto vice-diretor e os frutos estão aí. Basta conversar com os servidores da escola, alunos e comunidade escolar. Enquanto Equipe Gestora, entregamos uma escola que é referência na gestão, qualidade e compromisso com o ensino.”

A diretora Ester Lopes Cançado informou que foi orientada pela Superintendência Regional de Ensino de Paracatu a não se pronunciar porque o processo está sob sigilo. “Infelizmente, enquanto durar o processo, eu não poderei comentar. Quando finalizar, tenho interesse em fazer uma matéria sim.”

Jaqueline Gonçalves também disse que foi orientada pela Superintendência Regional de Ensino de Paracatu a não se pronunciar até o final do processo e reiterou que trabalhou com honestidade e compromisso.

O JP Agora obteve informações de que fiscais da SRE de Paracatu (Superintendência Regional de Ensino) também foram exonerados sob suspeita de não fiscalizar as denúncias feitas contra a Escola Capitão Speridião, mas ainda não foi confirmado.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


18 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Botina furada
1 mês atrás

Cuidado pra não furar a botina. Tem que trabalhar.

Vai furar
1 mês atrás
Resposta para  Botina furada

É questão de tempo

Maneneto.
1 mês atrás
Resposta para  Botina furada

Não aguento mais descer o lixo sozinho.

...
1 mês atrás

De boas almas o inferno tá cheio

Daiane Marins
1 mês atrás

Uma hora a casa cai. A anos é conhecido dos professores e profissionais a tirania que existe nesta escola. Alguns profissionais que não são “aprovados” pela diretora são extremamente perseguidos, humilhados e até rejeitados numa administração “tao” eficiente. Justamente nessa época tive Depressão e sei bem o porquê. Procurei apoio na então inspeção escolar, mas fui desencorajada pela amizade desta com a “rainha” soberana da escola Capitão. Eu tenho péssimas lembrança de atuar como professora nesta escola. Felizmente a única escola nessa situação, pois em todas as outras que atuei deixei amizades e bons relacionamentos tanto com alunos quanto com… Leia mais »

Cida
1 mês atrás

Nunca fui com a cara da ster sempre achei ela sem educação nenhuma

Trabalhador JP
1 mês atrás

Essa diretora é dura, desmamou uns malas, e está sofrendo perseguição, a investigação vai provar que ela está certa!

Sincero
1 mês atrás
Resposta para  Trabalhador JP

Fala isso pra quem já foi prejudicado.
Quando abria os editais e a pessoa que estava na frente e ela não ia com a cara
Dizia que já tinha preenchido a vaga e reabria o edital pra colocar quem ela tinha interesse …
Pode ter sido uma boa pessoa pra você, mais para outros ela foi uma péssima pessoa.

Diretoria
1 mês atrás

Se investigar vai achar mais coisas kkkkk pode acreditar

Mazzaropi
1 mês atrás

Por isso que a cidade tá cheia de gente analfabeta, difícil encontrar um que saiba interpretar um texto. Saibam que é tudo que o sistema quer, gente burra, sem poder de questionamento, mão de obra desqualificada para que se tornem peças baratas no jogo de capital de muitos vagabundos que tem por aqui…

Fã do pastor
1 mês atrás
Resposta para  Mazzaropi

Tá parecendo o pronunciamento do pastor… 😂😂😂

professor falso
1 mês atrás

kkkkkkkkkkk uma hora cai

Ebinha Traler
1 mês atrás

Essa Ester complicada, demais uma hora ela ia mostra quem era ela,

tem que ver a investigar mesmos

Revoltado
1 mês atrás
Resposta para  Ebinha Traler

Ester é muito competente e honesta, muita fofoca de quem quer o cargo dela sem contar a inveja

João
1 mês atrás
Resposta para  Revoltado

Muito honesta mesmo tanto que roubou 170 mil agora vai ter que devolver kkkkk

Revoltado
1 mês atrás
Resposta para  João

É só provar

Timbul
1 mês atrás
Resposta para  João

No anonimato é fácil falar. Provar que é difícil.

professor falso
1 mês atrás
Resposta para  Ebinha Traler

ela é muito desonesta, serve para nada- só para fazer plasticas kkkkkk parece uma palhaço