InícioPoliciaisDo acionamento ao resgate: entenda como funciona o SAMU regional que atua...

Do acionamento ao resgate: entenda como funciona o SAMU regional que atua em João Pinheiro

Júlio César, Enfermeiro do SAMU regional, conversou com o JP Agora para esclarecer alguns pontos

Publicado em

Desde a chegada do SAMU em João Pinheiro, o assunto vem levantando diversas dúvidas entre os pinheirenses, as quais vão desde o acionamento ao resgate efetivo das vítimas. Pensando nisso e visando qualificar ainda mais a população para futuros atendimentos, o JP Agora conversou com Júlio César, Enfermeiro do SAMU regional. Confira, a seguir, como funciona todas as etapas, do recebimento da ligação até a remoção para o hospital.

Júlio César começou a breve entrevista do início. Esclareceu que a chamada pelo 192 cai na central de regulação, onde o solicitante conversa, primeiramente, com um Técnico Auxiliar de Regulação Médica (TARM), para quem ele deverá esclarecer dados básicos da ocorrência como localização, queixa e ponto de referência. Depois desta etapa, o solicitante vai conversar com um Médico Regulador.

“O médico regulador pode tanto coletar informações adicionais como também já orientar o solicitante a prestar um primeiro socorro até a chegada do SAMU no local. Um exemplo é o paciente em parada cardiorrespiratória. O próprio solicitante do atendimento pode iniciar manobras de compressão torácica (massagem) enquanto o SAMU não chega, o que pode ser vital pra melhor chance de sobrevida do paciente. É também o médico regulador quem decide qual ambulância adequada para se deslocar até aquele local da ocorrência, se a unidade de suporte básico (tripulada por técnico de enfermagem e condutor socorrista) ou a de suporte avançado (tripulada por médico, enfermeiro e condutor socorrista)” destacou Júlio César.

Depois de repassar as informações básicas, a ambulância inicia o deslocamento e o médico regulador, se necessário, segue em contato com o solicitante e, depois da chegada da equipe, este contato é repassado para os próprios socorristas.

“Na cena da ocorrência, o contato entre a equipe e o médico regulador continua. Por isso, é importante que a população saiba que não é simplesmente chegar e remover a vítima do local. Precisamos avaliar a cena, estabilizar o paciente conforme protocolo, prestar um atendimento inicial, informar a central de regulação e aguardar o comando do médico regulador que vai direcionar a unidade de referência de acordo com a complexidade do quadro do paciente. Tudo isso é feito via smartphone e é muito criterioso. Por isso não basta apenas remover o paciente da cena, pois o SAMU tem todo o aporte para prestar um atendimento pré-hospitalar do básico ao avançado, esse é o nosso principal diferencial, atender em cena para transportar com segurança até o intra-hospitalar” ressaltou.

Número auxiliar caso o 192 não funcione

Ao final da breve entrevista, Júlio esclareceu que algumas redes de telefonia ainda não finalizaram a programação do 192 em alguns municípios, o que também pode ocorrer em João Pinheiro. Então, caso o solicitante acione o 192 e não obtenha êxito, existe um número auxiliar que também pode ser contatado.

“O atendimento pode ser solicitado através de um número alternativo que é o (34) 3818-0488. O SAMU, como o próprio nome já diz, é um serviço de atendimento móvel de urgência. Não atendemos solicitações não urgentes ou eletivas. Se caso a viatura chegar ao local e a equipe constatar não regularidade com o que foi informado à central de regulação, esse usuário pode até ser transportado até a UPA, mas não receberá atendimento prioritário somente porque deu entrada com SAMU. Vai ser atendido conforme protocolo de classificação de risco da unidade” salientou Júlio César.

Portanto, fique atento aos casos de atuação do SAMU. Disque 192 ou, alternativamente, o número (34) 3818-0488.

Comentários


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

mais artigos