Familiares de Mara comentam condenação imposta a Angelina; sentimento compartilhado é de que a justiça foi feita

JP Agora entrevistou uma tia e uma prima de Mara ao final do julgamento ocorrido ontem, 11 de maio

A sessão do Tribunal do Júri realizada ontem, 11 de maio, no Fórum de João Pinheiro terminou com a ré Angelina Ferreira Rodrigues condenada a 30 anos de reclusão. Familiares da vítima conversaram com a imprensa local após o término do julgamento e se mostraram satisfeitos com a pena imposta à Angelina.

Maria Joana Ribeiro Lopes tem 70 anos e é tia da Mara. Ela contou que nunca mais foi a mesma depois da tragédia que abalou toda a família. Depois de quatro anos aguardando o julgamento, a idosa contou que ainda não está preparada para perdoar Angelina por tudo que fez à sua querida sobrinha.

“A gente queria que não tivesse acontecido, que a Mara estivesse junto com nós. A Angelina vai para a cadeia, mas ela tem a vida. A minha sobrinha, nunca mais vamos vê-la. É uma paixão tão grande, eu nunca mais prestei depois que aconteceu isso. Parece que eu perdi a vontade de viver. A pena de 30 anos foi suficiente, mas eu não estou preparada para perdoar ela, porque eu estou fora da comunhão, se eu não perdoar ela eu não posso tomar a hóstia, mas ainda não estou preparada para perdoar ela. As vezes de hoje em diante Deus possa tocar meu coração para me preparar” disse dona Maria Joana, tia de Mara.

O JP Agora também ouviu Euza, prima de Mara. Ela contou que foi muito difícil reviver toda a tragédia mais uma vez, mas que o final compensou a espera com a justiça sendo feita.

“Hoje foi muito sofrido. Revivemos toda a história, acaba que ficamos emocionados porque falam muita coisa que a gente sabe que não é verdade. Saímos com sentimento de alívio, de ter certeza que a justiça trabalhou, fez o papel dela. Não que vai amenizar a saudade que a gente tem da Mara, mas a gente vai descansar sabendo que a justiça foi feita” destacou a mulher.

Euza comentou, ainda, sobre a sanidade mental de Angelina, destacando que ela é um monstro, mas que sabia o que estava fazendo. “Ela tirar e rasgar, dilacerar o útero dela, você ver que doida ela não tem nada. Ela sabia que se colocasse a faca podia cortar o bebê, então ela resolveu rasgar. A gente não pode falar que é uma pessoa normal, isso é um monstro” ressaltou a prima da jovem Mara.

Angelina foi condenada a 30 anos de reclusão e 2 meses e 10 dias de detenção. Ela seguirá presa e começará a cumprir a pena imediatamente. Ainda não se sabe se a condenada vai continuar no Presídio de João Pinheiro.

1 COMENTÁRIO


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


1 Comentário
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Zé pois é
9 dias atrás

PERDOA ESTE MONSTRO

Artigos relacionados

Últimas Notícias