Famílias desalojadas pelas chuvas em João Pinheiro receberão aluguel social de R$700 durante três meses

Lei que instituirá o aluguel social será votado em reunião extraordinária que será realizada pela Câmara Municipal na próxima sexta-feira

Visando auxiliar os pinheirenses que ficaram desalojados em razão dos alagamentos ocasionados pelas chuvas em João Pinheiro, a administração municipal concederá um aluguel social no valor de R$700,00 (setecentos reais) para cada família que precisou abandonar seu lar. O valor será concedido por três meses. Projeto de Lei será votado na próxima sexta-feira (14).

A reportagem do JP Agora entrevistou o prefeito Edmar Xavier na manhã desta quarta-feira, 12 de janeiro. Na oportunidade, Edinho contou que a medida foi adotada para evitar que as pessoas voltem para suas casas neste momento em que ainda existe risco de novos alagamentos. O aluguel será pago por três meses pela prefeitura.

“Nós encaminhamos as pessoas da Eva Moreira, de algumas casas do Santa Cruz, da Rogério Silveira, todos para o hotel. Hoje, estamos confeccionando um projeto de lei que vai para a Câmara em regime de urgência extraordinário. Vamos criar o aluguel social durante três meses que é o risco para essas pessoas não voltarem para casa” pontuou o prefeito ao repórter do JP Agora.

Publicidade
Dom Churrasco em João Pinheiro - Barca de Churrasco e Jantinha

O aluguel social, no valor de R$700,00 (setecentos reais), será arcado para as famílias que sofreram as consequências das chuvas mais recentes. A solução definitiva do problema também já está sendo tratada pela prefeitura, conforme Edinho já havia garantido durante a transmissão ao vivo realizada na noite de segunda-feira em seu perfil do Facebook.

“Falamos com o gerente da Caixa e marcamos uma reunião em Brasília. Todas as casas que são financiadas pela Caixa tem um seguro. A Assistência Social fez um laudo e vamos cobrar da Caixa para que esse seguro cubra os prejuízos dos moradores. Além disso, estamos mapeando tudo para mandar para a Defesa Civil de Belo Horizonte e Brasília para conseguir mais ajuda para essas pessoas” ressaltou o prefeito na entrevista concedida ao JP Agora na manhã desta quarta-feira.

Edinho seguiu contando a respeito da reunião realizada ontem, onde estiveram presentes autoridades locais e os empresários responsáveis pelos loteamentos. Segundo ele, o compromisso foi firmado e os moradores não serão deixados de lado.

“Na reunião de ontem, estiveram presentes os empresários responsáveis pelos loteamentos. Como eu já havia dito, não é o momento de apontar o dedo porque, quando analisamos, todos tem culpa. Vamos assumir a parte da prefeitura, as empresas vão assumir para melhorar os lugares. Um ponto importante que merece destaque é que estamos deixando claro que as providencias não podem ser tomadas no período de chuva, não podemos fazer os trabalhos enquanto não estiar. Então vai ser uma demanda para abril, maio, enquanto isso, teremos o aluguel social” finalizou Edinho.

O Projeto de Lei que institui o Aluguel Social emergencial em João Pinheiro será votado na próxima sexta-feira, 14 de janeiro, em reunião extraordinária na Casa Legislativa Municipal. O JP Agora seguirá acompanhando o caso.


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Artigos relacionados

Últimas Notícias