Publicidade
Chegou seu momento - Faculdade Cidade de João Pinheiro
Publicidade
InícioCidadeFazendeiro morre atropelado por patrola após discussão sobre vala em estrada vicinal...

Fazendeiro morre atropelado por patrola após discussão sobre vala em estrada vicinal em Minas Gerais

O motorista, funcionário da prefeitura, foi preso por homicídio culposo

Publicado em

Um fazendeiro de 64 anos morreu depois de ser atropelado por uma patrola em uma fazenda no município de Monte Carmelo. O produtor rural discutia com um vizinho sobre a construção de uma vala quando o operador de máquinas da prefeitura que realizava o serviço deu ré na patrola e o atingiu. Uma equipe de socorro foi acionada, mas ele não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no local.

Publicidade
WN Telecom - Publicidade

O acidente aconteceu por volta de 12h30 da última sexta-feira (26). De acordo com o registro da ocorrência, a Polícia Militar foi acionada no local do acidente, na Fazenda Tejuco. Quando os militares chegaram, uma equipe do Samu já estava prestando socorro à vítima que, devido aos ferimentos, não resistiu e veio a óbito no local. A vítima foi identificada como Eustáquio Rodrigues de Sousa, de 64 anos.

Em conversa com a Polícia Militar, o operador de máquinas da Prefeitura Municipal de Monte Carmelo relatou que realizava um serviço de patrola na estrada vicinal da região da fazenda Tejuco. Durante o serviço, teve que fazer uma pequena vala na lateral da estrada para o escoamento da água da chuva. Em razão da criação da vala, compareceram ao local a vítima e outro fazendeiro e os dois começaram a discutir. De um lado, A.V queria que a vala de escoamento fosse construída, em contrapartida, Eustáquio Rodrigues não queria que tal vala fosse realizada, pois isso poderia prejudicar suas terras com erosões.

Publicidade
J7 Imobiliária - O sonho da casa está aqui

Após o atrito verbal, o operador fechou a cabine da máquina patrola, e tentou sair do local realizando uma manobra de ré, momento em que acabou atropelando Eustáquio Rodrigues de Sousa. O próprio operador foi quem acionou as equipes de socorro. A.V disse aos militares que discutiu com a vítima por alguns instantes quando o operador de máquina fechou a cabine da patrola e disse que não iria mais executar os serviços. Que após isso, subiu um barranco ao lado da via vicinal e decidiu sair do local. Ele disse ainda que viu a patrola executando uma manobra de ré e que após alguns instantes ouviu um barulho e viu que Eustáquio havia acabado de ser atropelado.

Diante disso, o operador de máquinas recebeu voz de prisão e foi conduzido para a delegacia ele deverá responder por homicídio culposo na direção de veículo automotor, quando não há intenção de matar.

Publicidade

Comentários


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


Publicidade
0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

mais artigos