Greve na educação em Minas Gerais continua por tempo indeterminado, decide sindicato

Sind-UTE/MG afirma que ensino remoto continuará sendo ofertado e que paralisação se refere apenas às atividades presenciais

A greve no ensino presencial da rede estadual de educação de Minas Gerais, que teve início na segunda-feira (2), vai continuar por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE-MG), na tarde desta terça-feira (9).

Ao longo da próxima semana serão realizadas reuniões pelo sindicato para debater sobre a greve sanitária. 

O sindicato garante que o trabalho remoto continuará a ser prestado aos alunos. A entidade entende que o atual estágio da pandemia no Estado não permite o retorno as atividades presenciais e pede “vacinação massiva da população”.

Publicidade
Jantinha Dom Churrasco João Pinheiro - Jantinha com Churrasco

“Lutar pela vida é o nosso direito e nosso dever. A pandemia em Minas Gerais não está controlada, a estrutura das escolas estaduais é a mesma e não garante segurança sanitária, e o retorno presencial das aulas nesse momento coloca em risco a vida dos profissionais da educação, dos estudantes e das comunidades escolares”, disse a coordenadora-feral do SindUTE-MG, a professora Denise Romano.

A greve tem sido acompanhada pela Secretaria de Estado de Educação (SEE-MG) que afirma que o retorno ao ensino presencial é opcional e seguro para a comunidade escolar e foi decidido com base em parâmetros cientificos definidos pelo comitê de combate à Covid-19. 

6 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


6 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Pessoa
3 meses atrás

A fase de vacinação dos profissionais da educação foi na época de grupos prioritários e mesmo assim não querem voltar ao presencial, sendo que tem aluno que nem está fazendo as atividades online por falta de suporte dos professores.

Cidadão
3 meses atrás

Os presentes analisaram se algum aluno não está realizando as atividades online por falta de condições?, se sim, vão auxiliar com condições para que os mesmos façam as atividades?, tudo isso tem que ser levado em conta, caso contrário muitos vão ficar para trás enquanto outros continuam estudando.

Colega
3 meses atrás

O restante dos negócios funciona presencialmente, mas a educação não, eles deveriam funcionar apenas remotamente também, ou o vírus escolhe lugar para se transmitir.

Jorge
3 meses atrás

Absurdo por isso esse pais não vai p frente 2 anos o professor recebendo em casa e nos lutando contra pandemia impostos e queda nos faturamentos enquanto isso os professores em casa recebendo parado e agora se recusam a voltar as aulas, problema do brasil nao e so a política e sim o proprio brasileiro oportunista, logico com exceções

Mix
3 meses atrás

Concordo plenamente,a pandemia em Minas não está controlada aí vão colocar crianças em risco greve mais do que certa, coloca em sala de aula os políticos pra estudarem um cadinho

Jorge
3 meses atrás
Resposta para  Mix

Vc com certeza deve ser um preguiçoso, opa quer dizer professor, vai trabalhar cambada de gente atoa o ensino público tinha de ser terceirizado p acabar com essa mamata ou produz ou nao recebe como todos nos, pagar salario de gente atoa 2 anos ai quando tem de voltar a trabalhar entre em greve, esse país nao tem jeito, governador de minas se orgulhando de ter colocado salario em dia enquanto tem gente morrendo em fila de hospital por falta de leito

Artigos relacionados

data-matched-content-ui-type="image_card_stacked"

Últimas Notícias