InícioCidadeHomem é condenado a 29 anos de prisão por estuprar colega da...

Homem é condenado a 29 anos de prisão por estuprar colega da filha em Urucuia

Quando a vítima começou a ser estuprada tinha 8 anos e continuou sendo atacada pelo homem até completar 10 anos

Publicado em

Um homem foi condenado pela Justiça pelo estupro de uma amiga da própria filha. Os crimes aconteceram repetidamente por dois anos, na zona rural do Município de Urucuia, no Noroeste de Minas Gerais.

A pena prevista é de 29 anos em regime fechado, por estupro de vulnarável e por crime continuado. A vítima começou a ser estuprada quando tinha 8 anos e continuou sendo atacada pelo homem até completar 10 anos.

Os crimes ocorreram entre 2020 a 2022 e eram cometidos enquanto a menina visitava a casa do condenado, para brincar com a filha dele. Para isso, o condenado a buscava de carro e a levava ao lugar. Ele se aproveitava dos momentos de ausência da filha para praticar os abusos sexuais contra a vítima.

Para evitar que ela contasse a alguém sobre os estupros, o homem ameaçava matar a mãe da menina. No entanto, em setembro de 2022, a criança contou o que se passava a uma professora, que denunciou o caso à polícia.

O condenado não terá direito de recorrer em liberdade.

Assinar
Notificar

Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


1 Comentário
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Abençoada por Deus.
10 meses atrás

Que covardia! Na maioria das vezes que noticiam um caso desse fica claro o quanto as crianças não são ou não se sentem protegidas pela família , sempre o agressor faz tortura psicológica de tal maneira que a vítima não consegue dialogar com quem ela mais deveria se sentir segura. Os pais precisam dar mais abertura pra dialogar com os os filhos ,temos que deixar claro para nossas crianças que amamos elas, criar um ambiente em que elas se sintam seguras pra falar dos seus medos e sentimentos, deixar claro que ninguém tem o direito de tocar no corpo delas… Leia mais »