Ministério Público vai averiguar novo projeto de lei que revisa o subsídio dos vereadores em João Pinheiro

A Notícia de Fato foi instaurada ontem após a questão chegar ao conhecimento da 1ª Promotoria de Justiça da Comarca de João Pinheiro

A questão do aumento do subsídio dos vereadores de João Pinheiro parece estar longe de ser resolvida. Depois que a Câmara Municipal aprovou um novo projeto de lei que visa revisar o valor, a notícia chegou ao conhecimento do Ministério Público, que comprou a briga e instaurou um procedimento para averiguar a regularidade da nova lei recém aprovada.

Na decisão que instaurou o procedimento, a Promotora de Justiça Fernanda Costa Garcia Perez considerou a aprovação da nova lei como “aparente tentativa de burla” à decisão da justiça concedida na ação popular 5003081-12.2020.8.13.0363, em trâmite na 1ª Vara Cível da Comarca de João Pinheiro – MG. Por isso, julgou necessário a colheita de maiores elementos sobre a matéria, o que será feito no procedimento.

“Considerando que encontra-se em trâmite a ação popular n. n. 5003081-12.2020.8.13.0363 que, liminarmente, suspendeu os efeitos financeiros da Lei n° 2.535/2020 aprovada no final de 2020 que majorou o subsídio dos edis neste Município, e a aparente tentativa de burla a esta decisão, necessário colher maiores elementos acerca das razões de interesse público que justificaram a tramitação, em regime de urgência, desta proposição.”

Instaurado a Notícia de Fato, o Presidente da Câmara deverá ser oficiado para manifestar-se acerca da compatibilidade da lei recém aprovada com a decisão proferida pela justiça, assim como para que encaminhe ao Ministério Público a ata da respectiva sessão. A promotora requisitou, ainda, esclarecimentos sobre o porquê de a sessão não ter sido transmitida no canal da Câmara no Youtube como sempre ocorreu.

Publicidade
Supermercado Líder - Corrida Premiada

A redação do JP Agora contatou Márlon Marques Melgaço, autor da ação popular de nº 5003081-12.2020.8.13.0363, via Whatsapp. Bastante solícito, ele mostrou-se mais uma vez indignado com a postura dos vereadores, que claramente foram contra a vontade popular.

“Quando soube que os vereadores aprovaram novo aumento, fiquei espantado! Mas acredito que a lei aprovada poderá ser contestada no Poder Judiciário. Mas agora, é fundamental que a população saiba quem votou a favor e contra, bem como quanto será o prejuízo ao erário.”

Ainda na segunda-feira (01), depois que as primeiras notícias do novo aumento começaram a circular pelas redes sociais, Márlon fez uma postagem em seu Facebook se comprometendo a contestar a legalidade do novo projeto. Assim como em todos os outros posts do pinheirense sobre o assunto, seu texto foi compartilhado por diversas pessoas e outras tantas deixaram comentários de apoio na página.

Acompanhe os próximos capítulos desta história no JP Agora. Siga a nossa página no Facebook e receba as notícias em primeira mão.

5 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


5 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Ana x9
11 meses atrás

Elo corrêa em já está atacando

Hipócritas
11 meses atrás

Engraçado que funcionário público fica até 04 anos sem um reajuste, é obrigado a viver com um salário defasado, enquanto esses vereadores, que se acham melhores que o restante da população, já querem subir o salário no primeiro mês do ano. E o pior, em meio a uma pandemia, aonde muitos pais de famílias estão desempregados, sem até o que dar de comer para seus filhos. Isso é um tapa na cara da população. Cargo político não é uma profissão, já não basta ir na câmara só na segunda feira, podendo exercer outra atividade. Se querem ficar ricos arrumem uma… Leia mais »

Inconformado
11 meses atrás
Resposta para  Hipócritas

Esses funcionários públicos tbm são um m bando de atoa, deveriam criar lei pra mandar no mínimo a metade dos funcionários públicos embora….

Geraldo
11 meses atrás

Esses … ta atacando

Naruto
10 meses atrás

Uma pena não ter sido eleito ninguém que represente uma nova política baseada em princípios fundamentais como a ética e a moral. João Pinheiro está tendo o que merece. Infelizmente.

Quem sabe na próxima alguém de vibra tenha a oportunidade de mostrar serviço.
Devemos isentivar pessoas boas a ingressar na política.

Pois os que estão hoje, não me representam. Muito menos esse Eli.

Artigos relacionados

Últimas Notícias