Publicidade
Atendimento emergencial OdontoCompany João Pinheiro
Publicidade
InícioSaúdeParacatu: novo decreto proíbe a comercialização de cosméticos, vestuário, eletrodomésticos e itens...

Paracatu: novo decreto proíbe a comercialização de cosméticos, vestuário, eletrodomésticos e itens de perfumaria

Publicado em

O Prefeito de Paracatu publicou ontem (02) mais um decreto com novas determinações para o enfrentamento da Covid-19 no município. A que mais chama atenção é a proibição da comercialização de cosméticos e itens de perfumaria por supermercados e farmácias como forma de, segundo anota o decreto, equiparar estes estabelecimentos essenciais àqueles que não podem funcionar. Confira detalhes a seguir.

Publicidade
Óleo para motoserra - Faça seu orçamento com a Lubrivaz em João Pinheiro

O novo decreto possibilita o funcionamento dos serviços alimentícios através de delivery e retirada no local, com portas fechadas e redução do quadro de funcionários a 50%, observando, ainda, todas as medidas de segurança e prevenção.

A inovação da vez é a proibição da comercialização de cosméticos, vestuários, eletrodomésticos e itens de perfumaria pelos estabelecimentos autorizados a funcionar, como supermercados e farmácias. A medida é uma tentativa de equiparar estes estabelecimentos aos que não são classificados como essenciais e que comercializam esses tipos de produtos.

Publicidade
Revisão de motocicleta Dione Motos em João Pinheiro

Apesar da classificação popular de cosméticos ser ampla, a Lei Federal nº 6.360/76, que dispõe sobre a Vigilância Sanitária a que ficam sujeitos os Medicamentos, as Drogas, os Insumos Farmacêuticos e Correlatos, Cosméticos, Saneantes e Outros Produtos, traz a qualificação técnica, qual seja, “produtos para uso externo, destinados à proteção ou ao embelezamento das diferentes partes do corpo, tais como pós faciais, talcos, cremes de beleza, creme para as mãos e similares, máscaras faciais, loções de beleza, soluções leitosas, cremosas e adstringentes, loções para as mãos, bases de maquilagem e óleos cosméticos, ruges, “blushes”, batons, lápis labiais, preparados anti- solares, bronzeadores e simulatórios, rímeis, sombras, delineadores, tinturas capilares, agentes clareadores de cabelos, preparados para ondular e para alisar cabelos, fixadores de cabelos, laquês, brilhantinas e similares, loções capilares, depilatórios e epilatórios, preparados para unhas e outros.”

A mesma lei também traz a qualificação técnica de perfumes, qual seja, “produtos de composição aromática obtida à base de substâncias naturais ou sintéticas, que, em concentrações e veículos apropriados, tenham como principal finalidade a odorização de pessoas ou ambientes, incluídos os extratos, as águas perfumadas, os perfumes cremosos, preparados para banho e os odorizantes de ambientes, apresentados em forma líquida, geleificada, pastosa ou sólida.”

Publicidade
Raimundo Contabilidade em João Pinheiro

Todos os produtos que tenham as finalidades listadas acima não podem ser comercializados. Já os produtos de higiene pessoal, que podem eventualmente ser confundidos com cosméticos, quais sejam, “produtos para uso externo, antissépticos ou não, destinados ao asseio ou à desinfecção corporal, compreendendo os sabonetes, xampus, dentifrícios, enxaguatórios bucais, antiperspirantes, desodorantes, produtos para barbear e após o barbear, estípticos e outros” podem ser comercializados.

As novas determinações foram publicadas ontem e já estão em vigor. Confira a integra do decreto aqui (link).

Publicidade

Comentários


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


Publicidade
5 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Capitão do exército
1 ano atrás

Mais uma vez Paracatu sai na frente, enquanto lá tem empresas de verdade e que geram empregos como a Kinros que doou R$ 1.000.000,00, Nexa R$500.000,00, Valorem R$60.000,00 aqui em João Pinheiro temos o sangue suga do ABC mandou 40% dos funcionários embora após a inauguração e agora impetrou um processo contra a prefeitura para vender bebidas alcoólicas.

ernesto
1 ano atrás
Resposta para  Capitão do exército

Vai vc ser prefeito então. Ou compra uma empresa pra vc e dia dinheiro então. Sabi tudo. Era vc q tinha q ser prefeito da cidade.

Capitão do exército
1 ano atrás
Resposta para  ernesto

✌?Expressei minha opinião, Mas vou seguir o seu conselho e candidatar nas próximas eleições, pode deixar. Beijos

Zezim
1 ano atrás

Difere te daqui, paracatu tem prefeito!! Edinho bundão

Publicidade
kiko
1 ano atrás

ta complicadO

mais artigos