Polícia Civil indicia pai que deixou bebê em coma com coque na cabeça em Patos de Minas

Ele deve responder por lesão corporal de natureza grave

A Polícia Civil indiciou nesta segunda-feira (26) um pai que teria agredido uma bebezinha em 2018, em Patos de Minas. Ele desferiu um coque na cabeça da criança, na época com 8 meses, fazendo com que ela desfalecesse. Ele deve responder por lesão corporal de natureza grave.

De acordo com o Delegado Luiz Mauro Sampaio, o pai da criança, após lhe dar banho e pelo fato de ela chorar, veio a desferir um coque na cabeça dela, causando naquele dia danos neurológicos e físicos.

O delegado informou que, após desferir tal agressão, o suspeito, vendo que a criança havia desfalecido, buscou auxílio médico. A polícia civil procura a mãe da criança para poder realizar laudo complementar de lesão corporal.

Publicidade
Supermercado Líder - Corrida Premiada

O pai foi indiciado pelo Art. 129, parágrafo 2º, inciso III, ou seja, lesão corporal de natureza grave por perda ou inutilização do membro, sentido ou função. A pena é de de 2 a 8 anos de reclusão.

5 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


5 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Abençoada por Deus.
8 meses atrás

Credo! Como um pai tem coragem de tamanha violência contra um bebê de 8 meses? Um homem desse tinha que ganhar um coice de uma égua na cabeça pra ver o que bom.

Jose jacinto Alves Ribeiro
8 meses atrás

E a criança morreu ou não? porque passar tanto tempo pra ser julgado

8 meses atrás

Lesão corporal? Se a criança veio a falecer devido a ação realizada pelo pai não há que se falar em lesão, mas sim em homicídio, talvez culposo ou preterdoloso, pois o bem tutelado atingido foi a vida

Cidadão Pinheirense
8 meses atrás
Resposta para 

Desfalecer é diferente de falecer Sr Dr Advogado (Provavelmente ainda discente, no máximo no 6 ou 7 período).

Cristina
8 meses atrás
Resposta para  Cidadão Pinheirense

A interpretação faz parte do texto. Confundir desfalecer com falecer foi doído.

Artigos relacionados

Últimas Notícias