Ponte sobre o Rio Caatinga segue parcialmente interditada em João Pinheiro e trabalhadores cobram providências

Prefeitura interditou o trânsito para veículos acima de 8 toneladas; desvio de trajeto aumenta cerca de 23 km

O problema da ponte sobre o Rio Caatinga, na zona rural de João Pinheiro, segue sem solução definitiva. Trabalhadores e profissionais do transporte reclamam por providências por parte da Prefeitura Municipal, que interditou o trânsito parcialmente no local no dia 22 de fevereiro. Desvio de aproximadamente 23 km tem tirado o sono daqueles que foram afetados.

O JP Agora recebeu a reclamação de trabalhadores da usina Rio do Cachimbo que passavam pela ponte todos os dias para chegarem no serviço. Com a interdição da ponte, eles precisam fazer um desvio de quase 30 km, o qual acaba interferindo, também, no valor do frete dos caminhoneiros.

“Interditaram até 8 toneladas até arrumar definitivamente. Disseram que seria até passar o período de chuvas, 8ton não passa nem um ônibus com os funcionários. Sem falar os diversos caminhões que dependem dessa ponte pra transportar materiais para as usinas e fazendas daqui. Tem que dar uma volta de quase 30km a mais. Como aumenta a quantidade de KM, os fretes acabam ficando mais caros por causa da volta. E os caminhões tem que passar no pedágio, gerando mais custos sobre os transportes e fretes. Sem falar nos trabalhadores que acabam chegando mais tarde em casa, por causa dessa volta. Alguns estão passando por uma estrada chamada “estrada do caçador” e outros vão pela rodovia até a entrada da Vila São Sebastião” disse um trabalhador à redação do JP Agora, o qual preferiu manter o anonimato.

O JP Agora denunciou a rachadura no dia 21 de fevereiro e a Secretaria de Obras Municipal esteve no local no dia 22 e interditou parcialmente o trânsito. Como a cidade ainda era castigada pelas chuvas, a promessa era de que o problema seria resolvido definitivamente com a estiagem. Contudo, segundo os relatos recebidos pelo site, o problema persiste sem solução definitiva.

A reportagem do site continuará acompanhando o caso.


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


0 Comentários
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários

Artigos relacionados

Últimas Notícias