Professora denuncia falta de critérios para contratação de servidores pela Prefeitura Municipal de Brasilândia de Minas

Raiane Alves Fonseca entrou em contato com o JP Agora e contou a respeito da situação atual das contratações de servidores do município

A redação do JP Agora recebeu uma denúncia grave na tarde da última terça-feira, 08 de fevereiro de 2022. A professora Raiane Alves Fonseca procurou o site para relatar a respeito das contratações de servidores pela Prefeitura Municipal de Brasilândia de Minas. O assunto é alvo de inquérito no Ministério Público de João Pinheiro.

Raiane possui duas graduações, uma em pedagogia e oura em educação especial. Além disso, possui duas pós-graduações, uma em educação especial e outra em gestão, supervisão e orientação educacional, sem contar que possui experiência na área da educação adquirida em 4 anos de trabalho como professora e monitora em Brasilândia de Minas. Apesar do vasto currículo profissional, a mulher não foi contratada pela prefeitura, fato que lhe chamou a atenção e levantou o alerta para os critérios adotados pela administração municipal para as contratações tanto de professores quanto das demais áreas.

Para a reportagem do JP Agora, Raiane contou sobre sua indignação, principalmente com o descaso por parte da prefeitura. Ela já protocolou diversos pedidos de explicações a respeito dos critérios adotados e nunca recebeu respostas, até que o assunto entrou na mira do Ministério Público de João Pinheiro.

“O último concurso público foi em 2010 e o último processo seletivo foi em 2013. Nenhuma lista de classificação foi divulgada. Desde então, as contratações acontecem por apadrinhamento e indicações políticas. Alguns dos vereadores indicam para os cargos públicos e isso acaba acarretando compra de votos” contou Raiane à redação do site.

A professora está em buscas de respostas desde o ano passado e, ainda em 2021, ela procurou o Ministério Público para fazer uma denúncia, que acabou se convertendo no inquérito 0363.21.000148-5. O JP Agora não teve acesso aos autos, mas, segundo Raiane, a Prefeitura de Brasilândia foi intimada pela promotoria a prestar esclarecimentos a respeito das contratações, oportunidade em que o então secretário de educação informou que seriam criados critérios para as futuras contratações de 2022. Contudo, a promessa não foi cumprida.

“Encaminhei um ofício para o Prefeito Municipal no dia 07 de janeiro e no dia 07 de fevereiro estive presente na reunião da Câmara Municipal para pedir apoio aos vereadores, já que eles são os responsáveis por defender os direitos dos cidadãos da cidade. A maioria me apoiou. Contudo, fico chateada porque nunca obtive nenhuma resposta. Os critérios que o secretário falou até então não foram apresentados. Estou correndo atrás por critérios justos que beneficiem toda a população de Brasilândia. Direitos iguais. Fico chateada quando vejo uma pessoa humilde não conseguir o serviço porque não tem o apadrinhamento, enquanto outros podem escolher horário e lugar onde quer trabalhar” pontuou a professora, revoltada com a inércia da prefeitura.

A maioria dos vereadores de Brasilândia de Minas se comprometeu com Raiane. Como a reunião aconteceu nesta semana, a professora ainda não viu resultados desse apoio. O JP Agora continuará acompanhando o caso e ressalta que nosso espaço está aberto à Prefeitura de Brasilândia de Minas caso queiram se manifestar.

5 COMENTÁRIOS


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


5 Comentários
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
DELTON
3 meses atrás

nao estou falando mal da reportagem viu… mas novidade nas prefeituras hein ……

Gente inocente
3 meses atrás

Isso acontece em todos os lugares e é uma vergonha e desrespeito com aqueles que lutam honestamente para obter um trabalho.
Já não sei o que é ético e moral nestas instituições suja e corruptas

BrasilândiaSemLei👍🏻
3 meses atrás

Não é de Hoje que ocorre estes apadrinhamentos políticos. Brasilândia continua na Época do Coronelismo, onde Cargos públicos são usados para abarganhar votos! As creches os filhos dos empresários e outros apadrinhados tem vagas sem se quer pegar filas…É por aí vai diversos crimes ocorrendo na Adm/Pública do Desgoverno no Prefeito Oséias junto a sua péssima administração que vem ocorrendo…O MPEMG, passou da hora de fazer um Pente Fino em Diversos Setores do Município porque o Dinheiro está saindo dos Cofres Públicos para Diversas Empresas Fakes…Sem Falar a Competência do Prefeito Colocar junto a Adm o próprio Filho EX Vereador… Leia mais »

Zé Povim
3 meses atrás

Só uma coisa me incomoda: Vereadores apoiaram?
Falar lá na hora todos vão falar. Agir? Eis a questão.
O resto nada impressiona.

Concurso em João Pinheiro e o mesmo que nada.
3 meses atrás

Em João Pinheiro está cheio disso também, na câmara municipal ,no galpão onde fica a secretaria de saúde tem inúmeras pessoas que estão ali por apadrinhamento ou “interesse” dos próprios vereador e prefeito. E uma falta de respeito com as pessoas que estuda e realiza o concurso, faz tempo que não convoca um gari da lista do concurso mais tem uma empresa terceirizada que está contratando falo isso porque contrataram um conhecido meu pra fincão de gari!!!

Última edição 3 meses atrás by Concurso em João Pinheiro e o mesmo que nada.

Artigos relacionados

Últimas Notícias