18.9 C
João Pinheiro
quinta-feira, março 4, 2021

Polícia Civil prende advogado “stalker” que ameaçava juíza de Unaí

Um advogado suspeito de ameaçar e extorquir a Juíza de Unaí, foi preso neste sábado (20) em Paranaguá, no Litoral do Paraná, em uma ação conjunta de policiais civis dos dois estados.

Adriano Leme Ike, de 40 anos, que estaria residindo em Paranaguá, vinha há meses ameaçando e tentando extorquir a juíza Ludmila Lins Grillo, da Vara Criminal e da Infância e da Juventude de Unaí.

A operação “Delorean Stalker”* foi desencadeada pela polícia Civil da cidade mineira, e contou com a colaboração da polícia civil paranaense, uma vez que Adriano Leme Ike estaria residindo em Paranaguá.

Entenda a História

O advogado chegou a exigir R$ 1 milhão para deixar a juíza em paz. Adriano alegava que, “em outras vidas”, a juíza teria sido perversa com ele e então teria que lhe reparar, com esse valor, os danos morais sofridos. No entanto, Ludmila Lins Grillo afirmou nunca ter tido contato com o autor da perseguição.

Ludmila conta que o homem afirmava conhecê-la de vidas passadas e inventava narrativas a partir do que criava. O grande problema da história é que Ike não conhecia Ludmila, pessoalmente, e nunca teve contato com ela.

“Ele me chamava de outros nomes e fantasiava, ou fingia fantasiar, inúmeras situações que teria passado comigo, em narrativas em que eu sempre aparecia como figura perversa e maligna”, conta Ludmila.

A polícia esclareceu o trabalho realizado

“Adriano Leme Ike é investigado por invadir a esfera de privacidade da vítima, empregando táticas obsessivas ameaçadoras de perseguição e coação através das redes sociais, WhastApp e Instagram. O conteúdo das mensagens, encaminhadas à vítima, é extremamente ofensivo, demonstra grau acentuado de periculosidade e inclui vertente sexual altamente pejorativa”, explicou a delegada do caso.

O suspeito realizou, por mais de quatro meses, ameaças de aproximação física, impondo medo à vítima.

“O suspeito chegou a encaminhar fotografias de lugares íntimos, como o local exato da residência da vítima e de familiares, além de correspondências ao local de trabalho. Pelas investigações, a grave ameaça foi sempre manifestada. O suspeito, em busca por vantagem ilícita, chegou a exigir R$ 1 milhão a título de suposta reparação de danos sob pena de causar à vítima dor e intenso sofrimento”, revelou Gabriela.

Após seguidas ameaças de morte, o advogado foi preso pela operação. Ao ser detido, ele solicitou permissão para ficar com o livro “O inquérito do Fim do Mundo”. Ludmila é a coautora.

1 COMENTÁRIO


Termo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do JP Agora. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O JP Agora poderá remover, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos ou que estejam fora do tema da matéria comentada. É livre a manifestação do pensamento, mas deve ter responsabilidade!


1 Comentário
Mais votados
Mais recente Mais antigos
Inline Feedbacks
Veja todos os comentários
Irônico
8 dias atrás

Esse tava usando MTS alucinógenos, pq tentar extorquir juíza é pedir p ser cassado 36h/dia! 😂😂

Artigos relacionados

data-matched-content-ui-type="image_card_stacked"

Últimas Notícias